Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO B

Terra do Drácula, Transilvânia é ótima pedida de turismo

Com fama de local propício a histórias de terror, região abriga castelos, vinícolas e belezas naturais
10/10/2019 07:00 - NAIANE MESQUITA


 

Terra do Drácula, a famosa Transilvânia é o lugar perfeito para as histórias de terror. Mas, além da arquitetura gótica e dos mistérios que envolvem essa região, o local reúne atrações imperdíveis para viajantes corajosos, como vinícolas em que são cultivadas uvas há 6 mil anos. 

Transilvânia significa “além da floresta” e recebeu esse nome por ser uma região montanhosa na parte centro-norte da Romênia, que compreende cidades como Sinaia, Brasov, Sibiu e Sighisoara, que ainda conserva ares medievais e passa a impressão de que parou no tempo.

CONDE DRÁCULA
 

É a cidade de Bucareste, que guarda a história de Vlad III, o Empalador, mais conhecido como Conde Drácula, que nasceu em 1431. 

Um dos atrativos é o Bran Castle, o castelo que inspirou a lenda do vampiro Drácula, escrita por Bram Stoker. O local é explorado pelo turismo, mas não foi a morada verdadeira de Drácula, que realmente era chamado dessa forma pelos moradores. A ruína de sua casa fica na cidade e, segundo a lenda, sua primeira esposa se jogou de uma das torres do local.

O homem que é conhecido mundo afora como o maior dos vampiros, dentro da Romênia, é visto como um patriota e herói. O príncipe Vlad III viveu até 1476 e foi uma figura essencial na luta contra os turcos. Sua fama tem origem nas mãos de ferro com que punia as pessoas. O seu principal meio de execução era o empalação, o que lhe rendeu o nome de Vlad, o Empalador.

Sighisoara

Sighisoara é uma vila localizada a 100 quilômetros ao norte de Sibiu. Linda e sinistra nas mesmas proporções, a cidadezinha fica em uma colina coberta de casarões do século 16, ruas de pedras irregulares e igrejas góticas. O centro antigo é rodeado por uma muralha do século 14. A parte mais alta é coroada por uma basílica do século 17 e um cemitério. Para chegar ao topo, é preciso vencer 172 degraus cobertos por um túnel de madeira, cujo interior é escuríssimo até durante o dia. O cenário é finalizado com revoadas de corvos no fim da tarde.

Castelo de Peles

O Castelo de Peles fica a 44 quilômetros de Brasov e foi construído em 1875 em estilo renascentista germânico. Foi concebido para servir de residência de verão ao rei Carol I da Romênia e demorou 39 anos para ficar pronto. Com a demora, o rei faleceu e foi a rainha Elisabeta a responsável por decorar os 160 cômodos da residência, nos estilos florentino, turco e austríaco.

GASTRONOMIA

Os pratos romenos são feitos principalmente com carne. Entre os típicos estão a sopa de carne de cordeiro ou carne de cordeiro com cebola e o “bolo de Páscoa”, chamado Pasca e recheado com queijo doce. 

Outro prato famoso da gastronomia romena é o Ciorba, uma sopa de legumes, carne de porco, feijão, frango e vários outros sabores.

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!