Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DANCIDADES

Projeto de Mato Grosso do Sul abre inscrições para oficinas

É possível inscrever-se até dia 18 no Dancidades – Dança e Cidadania

10 JUN 17 - 14h:00CRISTINA MEDEIROS

Na edição 2015-2016, um dos maiores e principais projetos de fomento e apoio cultural do País, o Rumos Itaú Cultural, contemplou um projeto inscrito pela Ginga Cia de Dança, de Campo Grande. Até o dia 18 de junho, serão aceitas inscrições para as oficinas a serem ministradas pelo Dancidades – Dança e Cidadania, o projeto premiado e voltado para metodologia de ensino, gestão e sustentabilidade. Ele está na  3ª edição e a programação foi marcada para acontecer de 23 a 25 de junho, no Museu de Arte Contemporânea (Marco) – Rua Antonio Maria Coelho, 6.000.

Segundo Renata Leoni, que na época era codiretora da Ginga e coordenadora pedagógica do projeto, esta edição chega muito mais interativa, pois, além de oficinas, contará com apresentações. “Colocamos espetáculos com a temática do que estamos abordando. Por exemplo, a diretora Uxa Xavier, de São Paulo, ministrará oficina para pessoas que têm foco no trabalho com crianças. Assim, haverá apresentação relacionada a esse universo”, explica.

Segundo Renata, pode se inscrever qualquer pessoa que tenha interesse e envolvimento mínimo com a dança. “Pode ser um coreógrafo, bailarino, diretor, por exemplo, que tenham experiência prévia, que  trabalhem profissionalmente na área”.

Para participar das oficinas e seminário, é necessário preencher o formulário na página do Facebook do evento: https://www.facebook.com/dancidades/.

Nesta etapa das oficinas, participam Galiana Brasil (PE/SP), gerente do Núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural; a diretora Uxa Xavier (SP); a arte-educadora Kelly Queiroz (MS); os artistas Mariana Pimentel (CE/RJ), Marcos Mattos (MS) e João Vicente (TO); o professor e pesquisador de economia da dança Rafael Guarato (GO); a atriz Ligia Pietro e o diretor de teatro Fernando Lopes (MS), que formam o Grupo Casa; além dos grupos Cia. Dançurbana (MS), Lamira Grupo de Artes Cênicas (TO) e Ginga (MS). 

Desde que foi lançado pela primeira vez, em 2013, com o apoio do Fundo de Investimentos Culturais (FIC), o Dancidades tinha a preocupação de capacitar seus bailarinos e professores, que cada vez mais se lançavam profissionalmente na arte da dança. “Muitos deles procuram novas fontes de renda, fosse dando aula ou dançando mesmo, e o intuito era capacitá-los. Depois, ampliamos para a comunidade da área e, nesta edição, tudo está maior, mais abrangente”.

Para Renata, ser selecionado por um programa como o Rumos Itaú Cultural é algo grandioso. “É como ganhar na loteria, já que são milhares de projetos do Brasil inteiro concorrendo”.

UM POUCO DO QUE VIRÁ

O primeiro dia começa às 9h, com a oficina O Corpo como Território de Memórias, comandada por Uxa Xavier, diretora do Grupo Lagartixa na Janela. Esse encontro tem como objetivo acessar a memória cinética da infância como uma estratégia para a criação de um inventário dos jogos que habitam a memória física e simbólica dos participantes. Saber do que brincavam, como eram essas brincadeiras, onde brincavam. 

Em seguida, às 14h, a arte-educadora Kelly Queiroz promove oficina de mediação cultural com alunos de escola pública. A finalidade é prepará-los para a fruição do espetáculo “Poracê”, apresentado na sequência. “Esta já é uma prática que a Ginga Cia de Dança faz com o intuito de fomentar o público apreciador de dança”, conta Renata Leoni. 

Duas horas depois, às 16h, tem a apresentação do espetáculo “Poracê – O outro de nós”, da Cia. Dançurbana. Às 20h é a própria Ginga Cia de Dança que toma conta do palco com “Se Você me Olhasse nos Olhos”, uma criação coletiva fruto do encontro de intérpretes-criadores com experiências distintas em dança. 

Na manhã de sábado, Uxa dá continuidade à oficina O Corpo como Território de Memórias. Na parte da tarde, às 14h, Rafael Guarato, Mariana Pimentel e Marcos Mattos apresentam o seminário Gestão e Sustentabilidade de Iniciativas em Dança, com mediação de João Vicente. Às 18h, o Lamira Grupo de Artes Cênicas apresenta-se com “Gibi”. 

Para encerrar a programação, no domingo, o tema da vez discutido no seminário Gestão e Sustentabilidade de Iniciativas em Dança é o artista como empreendedor, com a mediação de Rafael Guarato e participação de Galiana Brasil, João Vicente e Grupo Casa.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

“Órfãos da Terra” é um exemplo de novela a ser seguido
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Órfãos da Terra é exemplo de novela a ser seguido

Show marca comemoração dos dois anos da banda Seven Four
DE GRAÇA

Show marca comemoração dos dois anos da banda Seven Four

Coletivo de música estreia projeto mensal com várias atrações
NA CASA DE ENSAIO

Coletivo de música estreia projeto mensal com várias atrações

Cidade do interior de São Paulo virou palco para série mineira da Globo
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Cidade de São Paulo virou palco para série mineira

Mais Lidas