Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAPOEIRA PARA CRIANÇAS

Projeto Capoeirando terá aulas gratuitas para o público infantil

Aula será ministrada no domingo, com entrada gratuita para crianças com idade acima de 1 ano
18/07/2019 07:00 - NAIANE MESQUITA


 

A capoeira com raiz pedagógica é o cerne da metodologia Brincadeira de Angola, idealizada pelo Mestre Omri Ferradura, do Rio de Janeiro, e que será tema de uma aula gratuita para crianças, no domingo, a partir das 8h, no Centro de Convivência do Idoso Vovó Ziza.

“Eu trabalho em cima das múltiplas inteligências dos estudantes, assim como as múltiplas percepções musicais e corporais. Nossa ideia é sempre juntar um trabalho corporal que foge daquele ensino militarizado que é comum em muitos lugares. A metodologia do ensino da capoeira tem uma raiz pedagógica, que busca incentivar bastante a criatividade dos alunos, o lado teatral e dramático deles”, afirma Mestre Ferradura. 

O método foi desenvolvido em 1998 e essa é a terceira vez que Mestre Ferradura debate o tema em Campo Grande. “Eu conheci a capoeira através de amigos quando tinha 15 anos de idade e logo de cara eu gostei e sabia que iria trabalhar com isso. Aos 18 anos, eu já estava dando aula de capoeira e graças a meu mestre, que atuava na educação infantil, eu me envolvi com essa área”, explica Ferradura. 

Para criar o método, Ferradura aproveitou os ensinamentos do curso de formação superior em pedagogia. “Eu percebi que não tínhamos nenhum embasamento teórico para as aulas de capoeira e, a partir das minhas necessidades e do meu estudo em pedagogia, desenvolvi uma metodologia. Utilizo muitos contos e histórias afro-brasileiras”, ressalta. 

Com o ensino, Ferradura percorre diversos países, inclusive em áreas de conflito e campos de refugiados. “Depois que a capoeira foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, ela conquistou o mundo inteiro. Então eu ensino capoeira em Israel, Europa, Moçambique, Estados Unidos e Chile. A capoeira está presente também nas escolas particulares e em classes sociais mais abastadas, o que mostra o seu potencial para a formação e construção do ser humano”, explica. 

CAPOEIRANDO

A formação do Mestre Ferradura acontece de hoje até domingo e encerra o projeto Capoeirando – Circuito de Capacitação, que reuniu os principais expoentes da prática em Campo Grande e que realizado de 7 de junho até 21 de julho, nas mais diferentes modalidades de capoeira. As capacitações receberam investimentos do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (Fmic). Os horários são de quinta-feira até a sexta-feira, das 19h às 22h, e sábado e domingo, das 8h às 18h.

No projeto, participaram nomes como Mestre Gilvan, do Distrito Federal, que trouxe informações sobre a “capoterapia”, uma técnica ideal para a terceira idade, além da presença do Mestre Paulão Kikongo, que explicou sobre o Sistema Nacional, o Plano Nacional e as Leis de Incentivo à Cultura.

TURBANTE 

Durante o último ciclo de formação do Capoeirando, ocorre no sábado a tarde uma oficina de Afro Turbantes, com a feminista negra Ângela Epifânio. A entrada também é gratuita. 

Na sequência da oficina, um samba de roda será realizado pelos participantes do evento, mostrando a importância de preservar as tradições, a história e a cultura africana e brasileira. 

As inscrições para a formação e a oficina podem ser feitas pelos telefones (67) 99238-5415 e (67) 99233-4249.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.