Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MEMÓRIA

Professor é homenageado pelo pioneirismo em Bonito

Waldemar Martins foi proprietário do Rio Formoso Hotel Fazenda e faleceu no início de julho
26/07/2019 16:00 - DA REDAÇÃO


 

Amigos, ex-funcionários e ambientalistas homenageiam neste sábado, em Bonito, o jornalista e professor Waldemar Martins, proprietário do Rio Formoso Hotel Fazenda, que faleceu no dia 3 de julho, em Jaboticabal (SP), aos 89 anos.
Será celebrada uma missa, às 19h30, na Paróquia São Pedro Apóstolo, pelo Padre Israel, em sua memória e em reconhecimento a sua contribuição ao desenvolvimento do turismo e a conservação dos recursos naturais na região da Rodovia do Turismo.

Professor, Jornalista e Ambientalista, Waldemar Martins foi um dos pioneiros, juntamente com  Bosco Martins e Afrânio Jaques (Hotel Fazenda Cachoeira) em hotelaria rural na Capital do Ecoturismo, nos anos de 1990. 
Foi também um defensor da integridade das águas cristalinas dos principais mananciais de Bonito, em especial o Rio Formoso.

Waldemar Martins deixou também um legado como educador e fundador da Faculdade de Educação de Jaboticabal/SP, instituição com mais de 60 anos de existência.

Reconhecimento

Instigado pelo filho Bosco Martins e a nora Márcia Brambilla (bióloga e uma das fundadoras da Neotrópica do Brasil), decidiu investir em Bonito e ambos se tornaram precursores em ecoturismo na região com a construção do primeiro hotel-fazenda, dando o nome do principal rio daquele paraíso. 

Em 2016 veio o reconhecimento durante o II Fórum Nacional de Jornalistas da Mídia Eletrônico, Turismo e Meio Ambiente que aconteceu  no auditório do Hotel Zagaia, no município.

Na oportunidade, seu empreendimento foi reconhecido pelo Fórum quando receberam o “Troféu Piraputanga de Turismo”, confeccionada pela artista plástica Buga Peralta,  por incentivar e promover o turismo em Mato Grosso do Sul e no Brasil.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?