Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDITAL

Plataforma oferece patrocínio para projetos de música brasileira

Inscrições para edital "Natura Musical 2019" vão até 19 de julho
02/07/2019 09:29 - DA REDAÇÃO


Natura Musical seleciona novos projetos para patrocínio em 2020. O processo de seleção busca artistas, bandas e grupos que já atuam profissionalmente no mercado e desejam desenvolver, consolidar ou revigorar suas carreiras. Há também espaço para projeto de mapeamento, desenvolvimento e registros de cenas musicais. 

"Os projetos patrocinados têm nas mãos o potencial para fortalecer o legado da música brasileira e, ao mesmo tempo, injetar energia ao mercado, ampliar seu impacto e renová-lo", afirma Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.

As inscrições devem ser feitas do dia 2 de julho a 19 de julho até às 17h (horário de Brasília), pelo site. O anúncio dos selecionados será feito até dezembro de 2019.

A plataforma oferecerá R$ 5,4 milhões em patrocínio, com a combinação de recursos próprios da marca e recursos incentivados. Serão contemplados projetos de todo o território brasileiro por meio da Lei de Incentivo à Cultura (nacional) e, regionalmente, na Bahia, com a Faz Cultura; em Minas Gerais, com Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais; no Pará, com Semear; e no Rio Grande do Sul, com a LIC.

Contemplados

Alguns dos mais representativos compositores e intérpretes da nova geração já foram patrocinados pelo programa, como Liniker e os Caramelows, Tássia Reis, francisco, el hombre, Luiza Lian, Tuyo, Larissa Luz, Johnny Hooker, entre outros. Ao mesmo tempo, a plataforma apoia projetos emblemáticos de ícones da música brasileira: é o caso de Jards Macalé, com "Besta Fera", Elza Soares, com "A Mulher do Fim do Mundo", Dona Onete, com "Rebujo", por exemplo. Nos próximos meses, o novo trabalho de Margareth Menezes também será lançado em parceria com Natura Musical.

 

Fonte: Assesoria de Imprensa Natura Musical

Felpuda


Vereador de Campo Grande fez pronunciamento com forte teor preconceituoso que obviamente não agradou, principalmente as mulheres. A repercussão negativa foi grande e ele teve de ler cobras e lagartos em seu perfil nas redes sociais. Assim, correu para publicar nota de esclarecimento tentando colocar panos quentes e se comprometendo a, já na próxima sessão, solicitar a retirada de sua fala dos chamados “anais da Casa”. Também, pudera!