CAMPO GRANDE

Mostra gastronômica terá pratos<br> com ingredientes regionais

Na 14ª edição, evento valoriza cozinha local
18/05/2019 17:42 - NAIANE MESQUITA


 

Com a participação de 22 restaurantes de Campo Grande, Bonito, Dourados e Três Lagoas, a mostra gastronômica Brasil Sabor acontece até o dia 2 de junho, em Mato Grosso do Sul. Na proposta do evento,  diversos pratos produzidos com ingredientes regionais recebem releituras de chefs regionais. 


Segundo o presidente da Abrasel-MS, Juliano Wertheimer, o festival é nacional e ocorre simultaneamente em 25 estados do País.  “Cada município faz os pratos com os produtos que vêm da sua região. As receitas têm um espírito regional, da família da gente, e ingredientes da terra, como mandioca e a guavira. É um festival para resgatar a própria cozinha”, esclarece.  


Por não ter caráter competitivo, a 14ª edição do Brasil Sabor  tem o objetivo de disseminar  novas opções gastronômicas das cidades. “É um festival para resgatar a própria cozinha”, explica Wertheimer.


Em Campo Grande, dez restaurantes estão participando com novas criações. No cardápio, há opções para todos os gostos, desde petiscos até pratos completos estrelados por risotos, carnes e peixes. 


A Cervejaria Prosa, por exemplo, lançou o regado, um chorizo Angus grelhado e marinado na cerveja, acompanhado de batatas. O prato tem um custo de R$ 49,00. 


Já o Hare Kebaberia lançou um carpaccio de cordeiro com purê de banana da terra, molho de ervas e castanha de caju, no valor de R$ 25,00.

Para os amantes da culinária japonesa há o dueto de temaki empanado com castanha de baru, um recheado com salmão grelhado e outro com banana da terra. A criação é do restaurante Sabor em Ilhas e sai pelo preço  R$ 25.


Confira a programação no site.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".