LITERATURA INFANTIL

Da avó para netas, livro conta a história de Lúcia e Lucinha

Lançamento acontecerá na terça-feira (14)
13/05/2019 07:00 - PAULA MACIULEVICIUS BRASIL


 

A senhora alta, de cabelinho meio branco, com voz doce, que nunca gritava e era sempre preocupada com todos ao seu redor é lembrança viva de Lucinha. Dona Lúcia Martins Coelho Barbosa, que dá nome à neta e também à escola estadual na Capital, valorizava muito o estudo, justamente por não ter tido a oportunidade de se sentar em uma carteira.

A avó, que aprendeu a ler, escrever e fazer as quatro operações com o marido, formou todos os filhos e ensinou aos netos o amor e o respeito.

Protagonista de histórias e brincadeiras, foi ela quem fez com que Lucinha tivesse a infância rica que hoje descreve às netas Bianca, 6 anos, e Nina, 4 anos. “[Lembranças] de quando ainda nem existia computador, então a gente amava brincar de esconde-esconde, andar a cavalo, explorar...”.


Bianca nasceu na França e Nina, nos Estados Unidos. Longe de andarem descalças na grama e dos passeios a cavalo, elas vivenciam a experiência do passado da avó quando vêm visitar Campo Grande.

“Neste momento, estou com a Nina aqui na fazenda onde cresci. A Bianca, sempre que vem, trago ela para a fazenda, então minhas netas têm condições de saber um pouquinho de como passei a infância”, conta Lúcia Martins Coelho Barbosa, 61 anos, a Lucinha. 

O LIVRO

As crianças queriam saber como era para a avó ter a mesma idade que elas e, em seis meses, Lucinha juntou o trabalho a fotografias antigas que já vinha fazendo com as histórias e ilustraões do trabalho artístico dela e também de Sarah Caires. “A ideia nasceu por conta das minhas netas, e o que eu tento passar é a valorização dela [Dona Lúcia], do amor e do respeito que minha avó e minha mãe me passaram”, explica a autora. 

Como um resgate das coisas simples e verdadeiras, nasceu “Lucinha e Sua Vó Lúcia”, um livro híbrido, com fotografias, acrílico, pastel seco, aquarela e ilustrações digitais. Cheio de cores, de técnicas e lúdico, tal qual a infância de Lucinha.

A história mostra os costumes de uma das famílias mais tradicionais da cidade a partir de um vasto acervo fotográfico, herança do pai de Lucinha, que tinha um laboratório de fotografia na fazenda e revelava lá mesmo os retratos de toda a família. As ilustrações, que ambientam o leitor, trazem parte da grande paixão da artista plástica: as onças.

“Minha paixão por elas começou na infância, por causa das histórias que meus familiares contavam, dos encontros com elas no mato. Ao mesmo tempo que eu sentia medo, elas me fascinavam”, completa a autora.

Voltado para o público infantil, a obra aborda as relações familiares e a retomada das memórias da infância, bem como a relação entre avó e neta. “Minha vó foi muito presente na minha vida e, como compartilhamos o mesmo nome, acabei virando Lucinha; por isso o título. Agora eu que sou avó e estou gostando muito dessa fase, temos mais paciência e mais vontade de trocar, de contar histórias”, reflete. 

A AUTORA 

Lúcia Martins Coelho Barbosa vive e trabalha em Campo Grande/MS. Há mais de 42 anos atua na área de artes plásticas com acrílico, pastel seco, aquarela e técnicas mistas. Já expôs suas obras em Portugal, Itália, França, EUA, Japão e Paraguai, e recebeu diversas premiações. Em 2016, criou o Múltiplo Ateliê, que mistura arte com gastronomia, dança, ioga e audiovisual.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".