Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

TELEVISÃO

Claudia Raia se despede de “Verão 90” e da personagem que roubou a cena

22 JUL 19 - 06h:00LUANA BORGES/TV Press

É impossível Claudia Raia passar despercebida em qualquer lugar. Expansiva e simpática, a atriz atrai para si todos os olhares de onde estiver. O mesmo acontece em “Verão 90”, novela das sete que chega à última semana de exibição, em que interpreta a exuberante Lidiane. Ao longo dos seis meses da trama de Izabel de Oliveira e Paula Amaral, Claudia provou, mais uma vez, ter completo domínio sobre a comédia e protagonizou boa parte das melhores cenas. “Sou uma comediante e só consigo fazer engraçado aquilo o que acho engraçado. Tenho de ler e achar graça e eu acho a personagem engraçada”, avalia.

Acostumada a fazer papéis de humor, Claudia se surpreendeu com as possibilidades que Lidiane trouxe para sua interpretação. Com o apoio do texto e da direção de Jorge Fernando, a atriz procurou se reinventar, apesar de ser um gênero bastante conhecido e explorado por ela. “Foi um trabalho árduo, mas acho que ela ficou bem diferente e engraçada”, observa. Uma característica do papel que fez toda a diferença no trabalho de Claudia foi a relação de Lidiane com a filha, Manuzita, protagonista de Isabelle Drummond. “Foi a construção de uma dupla. Tem mães e filhas que são simbióticas e elas têm quase uma dependência emocional. Isso é interessante de mostrar e construímos de verdade, Isabelle e eu”, conta.

No decorrer dos capítulos, Claudia foi percebendo que poderia inserir novos elementos em Lidiane. Um deles foi o “tudo bom”, que virou um bordão da personagem. “Foi uma brincadeira minha e da Tatá Werneck e eu botei isso em uma cena com o Rafael Vitti para fazer uma homenagem a ela. Quando falei, todo mundo caiu na gargalhada”, lembra, citando o intérprete de João, namorado de Tatá e pai da filha que ela espera. O sotaque carioca também foi um aspecto que exigiu atenção por parte de Claudia. Nascida em Campinas, no interior de São Paulo, ela confessa não ter sido fácil falar como os moradores do Rio de Janeiro. “Mas meus filhos são cariocas e convivo com muita gente que fala desse jeito. Fui pegando e virou esse retalho de homenagens que é a Lidiane”, aponta.

Enquanto gravava “Verão 90”, Claudia precisou lidar com uma das situações mais difíceis que já passou: a morte da mãe, aos 95 anos. Mas, apesar da dor, a atriz se sente mais grata por tudo o que viveu ao lado dela do que triste. Além disso, viver uma personagem cômica no mesmo período acabou ajudando. “Eu tinha todo mundo à minha volta e ainda um papel que me ajudou a levantar. Fazer comédia é bom por isso. Aconteceu a mesma coisa em 'Ti-Ti-Ti', quando me separei do Edson (Celulari) e fazia uma personagem que também me ajudou”, lembra.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Michel Teló estreia temporada nova de “Bem Sertanejo”
TV

Michel Teló estreia temporada nova de “Bem Sertanejo”

Mostra de cinema debate a relação entre psicanálise e sociedade
CINEMA

Mostra de cinema debate a relação entre psicanálise e sociedade

Confira receitas simples, rápidas e saborosas
CORREIO B

Confira receitas simples, rápidas e saborosas

OPORTUNIDADE

Curso de oratória gratuito está com inscrições abertas

Aulas começam no dia 5 de setembro na Biblioteca Isaías Paím

Mais Lidas