Domingo, 22 de Outubro de 2017

Educação

Vencedores do Prêmio Vivaleitura
terão premiação de R$ 90 mil

13 OUT 2017Por JORNAL DO BRASIL, COM DA REDAÇÃO15h:02

A edição deste ano do Prêmio Vivaleitura vai distribuir R$ 90 mil aos ganhadores. Dos 1.803 trabalhos inscritos, 201 estão na categoria bibliotecas públicas, privadas e comunitárias; 904 em escolas públicas e privadas; 698 em sociedade — empresas, organizações não-governamentais, pessoas físicas, universidades e instituições sociais.

O vencedor de cada categoria receberá R$ 30 mil em dinheiro.

De acordo com a coordenadora do prêmio, Telma Teixeira, da Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI), uma comissão de professores convidados analisará todos os projetos e selecionará cinco por categoria.

Posteriormente, um grupo de especialistas avaliará os 15 projetos e escolherá os três vencedores, que serão conhecidos no momento da premiação.

A entrega do quarto Prêmio Vivaleitura está prevista para 22 de outubro, em São Paulo, com a participação dos 15 finalistas. Eles participação de uma série de atividades culturais. Entre elas, visita ao Museu da Língua Portuguesa.

Os objetivos do prêmio são ampliar e melhorar o acesso dos cidadãos à leitura, valorizar o livro como instrumento cultural e apoiar a criação e a produção de obras literárias.

O prêmio é uma promoção conjunta dos ministérios da Educação e da Cultura, sob a coordenação da OEI e com patrocínio da Fundação Santillana, da Espanha.

O Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) apoiam a iniciativa.

Prêmios

De 2006, quando foi criado, a 2008, o prêmio distribuiu R$ 270 mil entre nove projetos vencedores. No ano passado, foram premiadas experiências com leitura desenvolvidas nas cidades de São Paulo e de Londrina (PR) e em comunidades rurais da Amazônia Legal — área que compreende os seis estados da região Norte e parte dos estados de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.

Foram vencedores em 2008, o projeto Ônibus Biblioteca, desenvolvido pelo sistema municipal de bibliotecas da Secretaria de Cultura de São Paulo, na categoria bibliotecas; Palavras Andantes, iniciativa de formação de leitores desenvolvida em 80 escolas públicas da rede municipal de Londrina, no item escolas; e Expedição Vaga Lume, projeto de formação de mediadores de leitura e de gestores de bibliotecas comunitárias em áreas rurais da Amazônia Legal, na categoria sociedade.

PARTICIPAÇÕES DO ESTADO

Em Aquidauana, em 2014, a Escola Estadual Felipe Orro já participou de uma das edições do prêmio. O projeto teve participantes das professoras Márcia Carolina M. de S. N. Silva, Eliane Rodrigues C. França, Elis de Fátima Lima de Moura, Margarida de Arruda Moura e Regina Célia M. da Costa e ocorreu entre 5 de março a 10 de dezembro de 2014.

A Secretaria Municipal de Educação de Três Lagoas também teve participação no projeto e desenvolveu um trablaho de 13 encontros, cada um com 3h de duração. Os concursos de leitura foram feitos, à época, na biblioteca do Sesi.

Equipe da Escola Estadual Marçal de Souza Tupã Y, no bairro Los Angeles, em Campo Grande, foi outra que já apresentou projeto para o prêmio.

Não foi possível confirmar se neste ano houve unidades educacionais de Mato Grosso do Sul com inscrição efetivada.

Leia Também