Quarta, 28 de Setembro de 2016

Entra na história

'Game of Thrones' bate recorde de prêmios no Emmy

19 SET 2016Por 09h:34

"Game of Thrones" tornou-se na noite deste domingo (18) a série mais premiada da história do Emmy, com 38 troféus. Superou a sitcom "Frasier" (1993-2004), que tinha 37.

Levou os prêmios de melhor drama, roteiro e direção -os dois últimos por "Batalha dos Bastardos", penúltimo episódio da temporada.

Nele, um exército capitaneado por Jon Snow enfrentou os rivais Bolton pelo domínio do Norte e entregou uma sequência de batalha sem precedentes na história da televisão.

Também da HBO, Julia Louis-Dreyfus levou seu quinto troféu de melhor atriz em série de comédia na noite deste domingo (18) por "Veep", em que vive a ex-presidente Selina Meyer que assume o cargo. "Veep" também ganhou como melhor série de comédia pelo segundo ano consecutivo.

É o 21º prêmio Emmy em sua carreira, desde "Seinfeld". Em seu discurso, ironizou o momento político americano. "Quero pedir desculpas pelo clima político atual. Acho que 'Veep' derrubou a divisão entre a comédia e a política. Nossa série começou como sátira política, mas agora parece mais um documentário sobre a realidade. Prometo que vou reconstruir aquele muro e fazer o México pagar por ele", disse a atriz, em referência a uma famosa fala do candidato Donald Trump.

Trump foi figura frequente nos discursos e monólogos durante a cerimônia do principal prêmio da televisão americana.

Logo no início da noite, o anfitrião Jimmy Kimmel ironizou Mark Burnett, produtor executivo de "O Aprendiz", reality show estrelado por Trump em 2004. O apresentador brincou que, caso o candidato republicano ganhasse, a culpa seria de Burnett por tê-lo tornado mais popular entre os americanos.

Sobraram piadas sobre o reality, o único que levou um participante à presidência, brincou a atriz America Ferrera, de origem hispânica. Aziz Ansari, vencedor de melhor roteiro por "Master of None", brincou que votaria no republicano e seus pais, imigrantes indianos, poderiam voltar para casa.

 

VENCEDORES

"American Crime Story - O Povo contra O.J. Simpson", exibida no Brasil pelo FX, foi uma das mais premiada na cerimônia: venceu cinco categorias, incluindo melhor minissérie.

Nas comédias, "Transparent" (Amazon) empatou com "Veep", com duas estatuetas. Em seu numero de abertura, o apresentador Jimmy Kimmel brincou com a previsibilidade da premiação em seu primeiro ato.

Assim que subiu ao palco, ele as escadas até a plateia para entregar uma estatueta para Jeffrey Tambor, vencedor em 2015 como ator de série de comédia por "Transparent" e favorito nesta edição. "Assim economizamos 22 minutos", comentou.

Acabou acertando, e meia hora depois Tambor levou a estatueta pelo segundo ano. Antes, Jill Soloway venceu como melhor diretora em comédia pela série da Amazon.

Soloway fez um discurso emocionado. A série fala sobre uma mulher transgênero, interpretada por Tambor. "Quando clocamos esses personagens no centro da historia eles são sujeitos, em vez de objeto. E eles mudam o mundo."

Tambor reiterou o ativismo e pediu que produtores dessem mais oportunidades na indústria a atores e atrizes transgênero, manifesto reiterado pela atriz transgênero Laverne Cox, de "Orange is The New Black", quando apresentou uma das categorias.

Em seu monólogo inicial Kimmel também fez graça da enxurrada de programas na TV ("esta é a noite em que comemoramos todos os programas importantes que nunca temos tempo de assistir"). E comentou a diversidade nas indicações: diferente do Oscar, que não indicou nenhum ator não branco neste ano, 19% dos atores finalistas do Emmy são de outras origens étnicas.

"A única coisa que valorizamos mais que a diversidade é nos parabenizar pela nossa diversidade", ironizou. Depois, foi ácido com o produtor do programa "O Aprendiz", que foi apresentado por Donald Trump: "Se ele for eleito e construir aquele muro [que divide os EUA do México], ele será o primeiro que colocaremos do outro lado".

O primeiro vencedor do 68º Emmy foi Louie Anderson, melhor ator coadjuvante de comédia por "Baskets". Na série, ele interpreta a própria mãe.

Leia Também