Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Eleições 2016

Segundo turno entra nos últimos
13 dias em clima de alta tensão

Nervosismo aumentou no QG tucano por conta das pesquisas

17 OUT 2016Por ADILSON TRINDADE06h:00

O segundo turno da campanha eleitoral entra na fase decisiva no decorrer dos próximos 13 dias e em clima de alta tensão em decorrência do bombardeio do tucanato de Rose Modesto sobre as trincheiras de Marquinhos Trad (PSD). O nervosismo da campanha dos tucanos piorou com o resultado das pesquisas do Ibope e da Valle, que confirmaram o favoritismo do adversário com larga vantagem de pontos.

O Correio do Estado foi duramente criticado pelo comando de campanha de Rose por publicar a pesquisa do Ipems dando como tivesse acabado a eleição, devido a grande vantagem de Marquinhos. Até passeata para protestar foi organizada pelo PSDB. A matéria foi amplamente explorada no programa eleitoral de Rose, mas nada disto sensibilizou o eleitor. A prova está nas pesquisas do Ibope (TV Morena/Globo) e Valle confirmando os números do Ipems.

Os índices do Ibope derrubaram a esperança dos tucanos e seus aliados. Eles terão de esperar por milagre nas urnas para reverter o quadro desfavorável. Os mais otimistas ressaltam os erros dos institutos em relação a Reinaldo Azambuja. Em 2012, nenhuma pesquisa indicava proximidade dele ao então candidato do PMDB, Edson Giroto. Já em 2014, dava como certa a vitória do senador Delcídio do Amaral (PT) no primeiro turno. 
As pesquisas, no entanto, representam o cenário do momento e indicam a tendência do eleitor na escolha do futuro prefeito de Campo Grande. Só que o quadro eleitoral de hoje é diferente ao das últimas eleições, porque a vantagem de Marquinhos é muito grande. Por isto, as duas últimas semanas serão decisivas para um sustentar a liderança e a outra tentar a superação.

A avaliação interna dos marqueteiros tucanos estão conscientes da dificuldade em virar o jogo eleitoral nos últimos 13 dias. Isto porque o Ibope aponta Marquinhos como futuro prefeito com 50% das intenções de voto e a Valle com 48,11%. A previsão da contestada pesquisa do Ipems já indicava a vitória de Marquinhos por 49,61%. E nos votos válidos (quando são excluídos os votos brancos/nulos/indecisos e nenhum deles), o Ibope dá 63% ao candidato do PSD, Valle mostra 63,02% e Ipems é de 62,57%. Os números são semelhantes. Então, a campanha eleitoral do PSDB terá de protestar contra todos os institutos de pesquisas.

*A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também