Segunda, 22 de Maio de 2017

suspeita

Mais um fiscal tributário de MS cai
na Lava Jato por receber propina

Milet foi citado por ex-executivo da Odebrecht

19 ABR 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

Depois de Fadel Tajher Iunes Júnior, mais um funcionário público estadual cai na Lava Jato. Desta vez é o fiscal tributário José Miguel Milet Freitas, o “Palha”, citado nas delações do ex-executivo Pedro Augusto Carneiro Leão Neto e do então diretor superintendente para as Áreas Norte, Nordeste e Centro Oeste da Odebrecht, João Antônio Pacífico Ferreira.

Milet teria recebido R$ 82,5 mil para participar de um esquema de desvio de dinheiro para a empreiteira. 

O servidor seria um dos integrantes da Comissão Especial formada por agentes públicos de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do governo federal que negociavam repasses de verbas para os dois Estados.

O objetivo era destinar o recurso para a conta da Odebrecht a título de pagamento de dívida de obras feitas na década de 1980 e 1990 nos dois Estados, que na época não tinham dinheiro para honrar a dívida. A contrapartida era propina. 

O valor de R$ 50 milhões de crédito readquiridos pela construtura refere-se ao ressarcimento das aposentadorias de funcionários que eram anteriormente federais e que foi assumida pelos Estados após a divisão geográfica.

A comissão foi criada para solicitar esses créditos e garantir que os pagamentos da União aos Estados ocorressem normalmente em 2006.

*Leia reportagem, de Gabriela Couto, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também