Domingo, 30 de Abril de 2017

PREVIDÊNCIA

Governador garante que vai discutir
com categorias reforma estadual

Atual proposta da União é que cada estado defina critérios em 6 meses

19 ABR 2017Por IZABELA JORNADA19h:44

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou hoje que, se a reforma da previdência for remetida aos estados, como prometido pelo presidente Michel Temer (PMDB), vai discutir com entidades que representam os servidores públicos adequações no sistema previdenciário estadual.

Azambuja é a favor da reforma da Previdência e durante agenda pública hoje com policiais militares ele não criticou manifestação promovida pela União dos Policiais do Brasil (UPB) ontem em Brasília. Houve quebra-quebra na Câmara dos Deputados.

“É legitima desde que feita pacificamente. Todo cidadão tem o direito de se manifestar quando não está contente”, disse.

O presidente Michel Temer já declarou que os estados terão que definir sua própria reforma e terão seis meses para finalizarem a matéria a partir da definição da reforma, que ainda tramita no Congresso.

“Eu tenho uma posição firmada quanto à questão previdenciária. O Brasil e todos nós não aguentamos mais esse modelo previdenciário. Esse deficit acaba sendo rateado por toda sociedade e ele precisa ser equacionado”, justificou o governador para defender mudanças.

Lembrando da insatisfação de algumas classes, Azambuja declarou que ninguém quer tirar direitos, “mas que não podemos manter alguns privilégios. O Brasil precisa avançar nessa matéria. É uma questão que está na pauta do Congresso Nacional”.

REFORMA

Os deputados decidiram adiar em uma semana a votação da reforma da Previdência Social na comissão especial.

A pressão dos partidos de oposição surtiu efeito e hoje foi definido, na Câmara dos Deputados, a votação do relatório da reforma para 2 de maio.

Leia Também