Quarta, 22 de Novembro de 2017

Investigação

Ação penal da Operação
Coffee Break entra na reta final

Juiz aguarda a Defensoria Pública para assumir defesa dos sem advogados

2 OUT 2017Por Gabriela Couto05h:00

A ação penal da Operação Coffee Break está em sua fase final na 6ª Vara Criminal, do juiz Marcio Alexandre Wurst. A maior parte dos réus já se defendeu e agora o magistrado aguarda um posicionamento da Defensoria Pública para defender os citados que estão sem advogado, no caso do ex-prefeito Gilmar Olarte (sem partido) e do empresário Luiz Pedro Guimarães. É o que está na decisão do juiz.

A denúncia apura o possível envolvimento de vereadores e empresários em um esquema de corrupção passiva, ativa e associação criminosa para retirar o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) do cargo. Paralelo a isso há uma ação de improbidade administrativa em fase inicial, que aguarda a citação de todos os requeridos para defesa. 

No último despacho Wurst também mandou ouvir o Ministério Público Estadual (MPE) sobre o pedido de atuação de Bernal no processo, como assistente de acusação. Também foi solicitado ao cartório a certidão de óbito do ex-vereador José Alceu Padilha Bueno, para extinguir o processo em relação a ele. 

Reportagem completa está na edição de hoje do Correio do Estado.

Leia Também