Terça, 27 de Setembro de 2016

ARTIGO

Venildo Trevizan: "Bem administrar"

Frei

17 SET 2016Por 02h:00

Em todos as organizações, em todas as empresas, indústrias e empreendimentos existe a necessidade de bons administradores. Caso contrário poderá acontecer terem que amargar decepções e perdas irreparáveis. O sucesso ou o fracasso dependem do bom ou do mau desempenho na execução dessas tarefas que compõem a organização. 

Não está sendo fácil administrar e conduzir as tarefas que são da responsabilidade de cada um. A cada dia essas tarefas se tornam mais difíceis e mais complexas até mesmo em nossas famílias. Passou o tempo em que a palavra do pai ou da mãe era sagrada e determinante. Não havia espaço para discussão e esclarecimentos. Era escutar, aceitar e executar.

Hoje mudou esse sistema. Cada qual se julga no direito de elaborar suas normas de vida, seu sistema de comportamento e seus princípios filosóficos. Surge o direito de divergir e questionar. Surgem novas formas de convivência. Desaparecem as distancias entre pais e filhos, entre patrão e empregado. Surge um modo mais mecânico de convivência. Cada qual busca seus possíveis diretos e também seus possíveis privilégios.
O relacionamento passa a criar divergências no que tange às ideias, aos pontos de vista e aos conceitos. Nada será aceito sem ser discutido e esclarecido. Nada será assumido sem ser justificado. Surgem conceitos muito pessoais.

Com isso a sociedade toma uma face nova. São muitas e diferentes maneiras de conceber os valores éticos e espirituais. O proibido deixa de inquietar. O pecado deixa de questionar. O bem se torna individual e fruto da consciência pessoal. Tudo será permitido desde que consiga alcançar o prazer desejado. Os meios não importam. O importante será o prazer.

Estamos entrando num fenômeno em que tudo está sendo questionado. Principalmente a existência de Deus e o que poderá acontecer após a morte são questões que inquietam alguns e deixam indiferentes outros. A ciência está evoluindo de tal forma que até  dispensa a ação de Deus. O consumismo está tão em voga que não deixa espaço para pensar o sobrenatural.

Por outro lado, surgem a inquietude e a angústia de um vazio sem explicação. O coração humano passa por momentos de dúvidas tão profundas que não sabe mais por onde ir e a quem procurar. As crises de comportamento estão preocupando. As dúvidas na fé deixam nuvens escuras no horizonte da vida. Está difícil administrar os sentimentos e os anseios.

Os prazeres do ambiente não satisfazem. Os bens materiais não preenchem e não correspondem à expectativa. As alegrias e as festas estão perdendo o valor e se tornam vazias.

Como preencher esses vazios? Só mesmo voltando às origens para recuperar a simplicidade nos relacionamentos e a humildade em suas tarefas diárias.

Será ainda possível. uma vida saudável quando permitir que Deus seja tratado no respeito e na gratidão. Será ainda possível uma vida feliz quando passar a acreditar e a viver de acordo com os valores morais e espirituais. Será ainda possível uma vida plena quando passar a tratar Deus como Deus e a si como ser humano.

Leia Também