Quinta, 23 de Novembro de 2017

ARTIGO

Ricardo Ayache: "Novembro Azul: seja um homem de atitude"

Médico cardiologista e presidente da Casems

9 NOV 2017Por 02h:00

Mais um novembro chegou e, mais uma vez, estamos engrossando as fileiras da luta para conscientizar os homens da importância dos cuidados com a saúde. Ao longo destes 14 anos (a campanha Novembro Azul iniciou-se em 2003, na Austrália), ouvimos, repetidamente, que é necessário fazer os exames que facilitam o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Mas será que todos os homens entendem realmente a importância dessa prevenção?

Apesar de toda a tecnologia e modernidade hoje disponível na área da saúde, a falta de informação, o preconceito, o tabu e o medo de ver sua masculinidade diminuída são os maiores empecilhos para o diagnóstico precoce da doença. Muitos homens brincam com a situação; mas, ao ter de enfrentar a realidade, acabam recuando por receio dos julgamentos e do que “as pessoas vão pensar”. Brincadeiras à parte, o câncer de próstata é uma doença séria, grave e que evolui silenciosamente para a morte. É o segundo tipo de câncer que mais mata entre os homens e é o sexto tipo mais frequente no mundo.

Por causa do tabu e do preconceito que giram em torno dos exames necessários para o diagnóstico da doença, as estatísticas são cruéis: a cada 7,6 minutos, um homem é diagnosticado com câncer de próstata. Um a cada seis homens é alvo da doença e, a cada 40 minutos, um homem morre por causa desse câncer.

Não existem medicamentos ou vacinas que tornem a pessoa imune ao câncer de próstata, por isso os profissionais da saúde e os órgãos de saúde pública insistem tanto na prevenção. E prevenir é sinônimo de estar em dia com os exames necessários para o diagnóstico precoce da doença: o antígeno prostático específico (PSA) e o toque retal.

Esses dois exames devem ser realizados regularmente e, embora o segundo seja alvo de muito preconceito por parte dos homens, é o único que vai garantir que não existe risco de o paciente estar doente. O exame PSA, que é o de sangue, é importante também; porém, não tem a mesma efetividade do toque retal, pois, em muitos casos, não detecta o câncer.

Uma das principais características do câncer de próstata é que, na fase inicial, ele não apresenta sintomas, por isso a realização dos exames de sangue e de toque retal, juntos, é importante. A resistência em fazer um check-up, pelo menos uma vez ao ano, faz com que 95% dos casos de câncer de próstata sejam diagnosticados já na fase avançada da doença, quando os sintomas começam a aparecer. Com o diagnóstico precoce, tudo fica mais fácil: o tratamento é menos invasivo e com maiores chances de cura.

Na fase avançada, os sintomas mais comuns são: vontade urgente e repentina de urinar; dor ou ardor ao urinar; diminuição do jato de urina; aumento na frequência urinária; sensação de que a bexiga ainda está cheia, mesmo após urinar; urina escura em razão da presença de sangue; dor ao ejacular e sêmen escurecido; dores corporais e nos ossos;  insuficiência renal.

Fazer os exames ao menos uma vez por ano não vai diminuir a masculinidade. Vai, sim, demonstrar que você, homem consciente e moderno, tem atitude e quer cuidar da sua saúde. Se você tem mais de 50 anos de idade, procure seu médico todos os anos e faça os exames preventivos. Se você tem 45 anos e já teve algum caso de câncer de próstata na sua família, antecipe suas visitas ao médico e faça seu check-up. E não se esqueça: em homens com menos de 65 anos de idade e com mais de um parente com diagnóstico de câncer de próstata, o risco de ter a doença aumenta de seis a onze vezes.

O homem moderno e antenado se cuida, cuida da própria saúde e pode aproveitar mais a vida junto dos amigos e da família, de forma mais saudável e inteligente.

Leia Também