Sábado, 29 de Abril de 2017

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "Barreiras para o crescimento"

18 ABR 2017Por 03h:00

O Brasil desperdiça potenciais de investimento e perde competitividade, consequência de anos de negligência.

A notícia de safra recorde em Mato Grosso do Sul vem acompanhada de preocupações com problemas que se agravam todos os anos, sem que soluções sejam planejadas: graves deficiências na logística. A expectativa é de que as colheitas de soja e milho resultem em 17,5 milhões de toneladas, mas o Estado dispõe de capacidade de armazenamento de 8,5 milhões de toneladas de grãos. O preço baixo da soja faz com que o produtor protele a comercialização até que os valores melhorem. Enquanto isso, surge a expectativa de safra recorde de milho, mas, novamente, os valores podem frustrar as metas de faturamento. Infelizmente, o Brasil desperdiça potenciais de investimento e perde competitividade econômica, consequência de anos de negligência, ainda mais evidente durante a crise.

É preciso repensar setores estratégicos para alavancar esse crescimento, em consonância com o avanço no campo. Em meio à crise financeira, o agronegócio surpreende ao conseguir quebrar recordes de produção e manter a geração de empregos, apresentando saldo positivo na criação de vagas durante o ano passado. Entretanto, os produtores ainda esbarram em vários entraves. Há dificuldades e burocracia para obtenção de crédito, precariedade das rodovias e o completo abandono das melhorias em ferrovias.

Os investimentos, atualmente, restringem-se à utilização do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundersul), tanto para recuperação de pontes como melhorias em estradas. Buracos tomam conta de vias importantes, a exemplo da MS-156 e MS-180, ambas no sul do Estado, que começam agora a ter as intervenções que já eram urgentes. A situação só não se tornou mais crítica por sorte, já que neste ano as chuvas não foram tão intensas. Caso contrário, certamente, veríamos o desespero para tentar escoar a produção, além do desgaste ainda maior nos trechos asfaltados.

No ano passado, o governador Reinaldo Azambuja esteve em várias reuniões em Brasília para pedir intervenção ao governo federal e exigir melhorias que deveriam ser feitas pela Rumo / ALL. Até agora, não houve reação. Assim, as rodovias continuaram sendo ainda mais sobrecarregadas pelo transporte de cargas. Fica difícil, neste momento, crer que os investimentos serão executados.

Faltou planejamento e, infelizmente, os bons resultados obtidos na agricultura podem esbarrar nessa omissão. É um contrassenso que, em período de desemprego crescente, oportunidades de crescimento econômico sejam desperdiçadas. A agricultura familiar é relegada a segundo plano e Mato Grosso do Sul continua dependendo de frutas e legumes de outros estados. Agora, nas atividades consideradas principais da nossa economia, a exemplo da soja e do milho, também se repetem problemas, sem soluções previstas. Continuamos com várias barreiras para o desenvolvimento. 
 

Leia Também