Sexta, 24 de Novembro de 2017

Fundação Barbosa Rodrigues

Viva os imigrantes!

26 AGO 2010Por 20h:33
Thiago Andrade

Japoneses, portugueses, espanhóis, entre tantos outros povos, encontraram em Campo Grande um lugar para chamar de lar. Em seu aniversário de 111 anos, a Rede Municipal de Ensino (Reme), em parceria de longa data com a Fundação Barbosa Rodrigues, por meio do Projeto Centro de Documentação, Imagem e Memória de Mato Grosso do Sul (Cim), escolheram homenagear aqueles que vieram de terras distantes e, de certo modo, ajudaram a cidade a se tornar o que é hoje.
Para tanto, os alunos de 16 escolas municipais da Capital desfilarão usando fantasias feitas pelos próprios professores com materiais recicláveis. O desfile começa às 8h no trecho da Rua 14 de Julho entre a 15 de Novembro e a Avenida Mato Grosso. “Procuramos trabalhar sempre com temas novos, o que vai ficando difícil já que o projeto tem tanto tempo. Com os centenários da imigração japonesa e libanesa, percebemos como o tema é rico e poderia gerar material bastante interessante”, aponta Adriano Paiva, coordenador de projetos da Fundação Barbosa Rodrigues.
A produção artística do desfile ficou a cargo do artista plástico Thiago Jordão, que escolheu os elementos utilizados por cada uma das alas. Paraguaios, alemães, italianos, bolivianos, portugueses, libaneses, espanhóis e japoneses estarão representados no desfile, que conta com a participação de 16 escolas municipais da Capital. “Para confeccionar os figurinos e os elementos de cada país, ministramos oficinas com os professores responsáveis pelo projeto em cada uma das escolas. Foi muito bom esse contato e ficou a cargo deles repassarem o que aprenderam para os alunos”, pontua Ana Jordão, responsável pelas oficinas junto às filhas Carol e Camila.
Para Fernando Vendrame, técnico em história da Secretaria Municipal de Educação (Semed), mais importante que o desfile, o trabalho pedagógico realizado por meio da atividade permite que as crianças tenham contato com a cultura e a história de outros países de forma aprofundada. “Além das oficinas de arte e artesanato, há pequenos cursos de formação pedagógica para que os professores possam fazer o trabalho da melhor forma possível”, detalha. A interação entre Semed e Projeto Cim acontece por meio de atividades como essa.
Cerca de 250 alunos da Reme irão participar do desfile em homenagem aos 111 anos da Capital. Vestidos com roupas típicas e elementos característicos de cada país, como as pizzas para os italianos, as maletas para os mascates turcos, as crianças também apresentarão danças tradicionais e costumes de cada região. Algo que chama a atenção são os cavalos e as roupas que representam Sancho Pança e Dom Quixote, representando a Espanha. Segunda Ana Ruas, por se tratar de um sonhador, houve grande liberdade para criar as fantasias do cavaleiro da triste figura, por meio de elementos reciclados, como copos de iogurte, tigelas de isopor, CDs, entre outros.

Leia Também