Sábado, 18 de Novembro de 2017

FURACÃO EM DOURADOS

Vereadores recebiam até R$ 10 mil de mensalão do Artuzi

3 SET 2010Por 20h:00
Dourados

Os vereadores da Câmara Municipal de Dourados são acusados de receber entre R$ 5 mil e R$ 10 mil de “mensalão”, pagos pelo prefeito Ari Artuzi (PDT). Imagens e áudios da Polícia Federal mostram vereadores recebendo o dinheiro. Um deles chega a comemorar o pagamento de propina. A PF dispõe ainda de gravação de conversas de Artuzi com o procurador-geral do município, o advogado Alziro Moreno, ambos presos, revelando a existência do “mensalão”. O pagamento era para aprovar os projetos do Poder Executivo.
Os vídeos mostram que nem todos os vereadores recebiam a mesma quantia mensal. O ex-líder de Artuzi na Câmara, Humberto Teixeira Júnior (PDT), por exemplo, recebia R$ 10 mil, conforme diálogo do prefeito com o procurador. O mesmo valor era pago ao vereador petista Dirceu Longhi, que rompeu com Ari neste ano, e agora preside a CPI da Saúde, que investiga os atos de corrupção do prefeito. Constariam ainda na “folha”, Paulo Herinque Bambu (DEM), licenciado da Câmara para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, e Zezinho da Farmácia (PSDB), com R$ 7 mil cada.   
Já com valor menor, R$ 5 mil cada, aparecem o vereador do PRB Júlio Artuzi (tio de Ari), Aurélio Bonatto (PDT) e Edivaldo Moreira (PDT). De todos os vereadores citados, apenas Dirceu Longhi não teve mandado de prisão decretado, mas teria sido levado à Polícia Federal de forma coercitiva.

Errata
Ao contrário do que foi informado ontem no infográfico publicado na página 3A, Carlos G. Recalde e Carlinhos Cantor não são a mesma pessoa. O primeiro é proprietário da empreiteira CGR; o outro é vice-prefeito de Dourados.

Leia Também