Quarta, 22 de Novembro de 2017

Vereadores criam bloco para garantir vaga na CPI do SUS

3 ABR 2010Por 23h:49
Dourados

Três vereadores sem bancada que integram a Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Dourados criaram um bloco suprapartidário a fim de indicar integrante para a Comissão Parlamentar de Inquérito do Sistema Único de Saúde (CPI do SUS) que deverá ser instaurada na segunda-feira. Os nomes dos integrantes da CPI já estão praticamente definidos pelas bancadas.

A instalação da comissão foi proposta pelo vereador Dirceu Longhi (PT). O objetivo é investigar os últimos dois anos da administração do ex-prefeito Laerte Tetila (PT) e a atual gestão do prefeito Ari Artuzi (PDT). O Bloco de Atuação Suprapartidária (BAS) é formado pelos vereadores Délia Razuk (PMDB), Zezinho da Farmácia (PSDB) e Júlio Artuzi (PRB).
Os três integram a comissão de saúde, mas corriam risco de ficar de fora da CPI porque são os únicos representantes de seus respectivos partidos na Câmara. “Nós decidimos formalizar o bloco para poder indicar um representante”, afirmou Zezinho da Farmácia. O nome escolhido pelo grupo foi da vereadora Délia Razuk.

Outros nomes
Além de Délia, vão compor a CPI o petista Dirceu Longhi, que será o presidente, e mais dois membros. Um será indicado pelo Democratas (DEM), que deverá ser Marcelo Barros; e o PDT deve indicar Aurélio Bonatto. A expectativa é de que a CPI seja instalada na sessão ordinária da próxima segunda-feira (5).
A instalação da CPI é mais um capítulo da crise da saúde pública de Dourados. O setor já está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual e Federal e foi um dos principais alvos da Operação Owari, desencadeada no ano passado pela Polícia Federal, que colocou 42 pessoas na cadeia. (FD)

Leia Também