Domingo, 19 de Novembro de 2017

Música

Verão é tempo dos sucessos “grudentos”

21 JAN 2010Por FERNANDA BRAMBILLA (AE)05h:23
As vozes dos sertanejos Zé Henrique & Gabriel saem do alto-falante de um carro, flanam pelos ares, invadem os tímpanos e são capturadas pelo cérebro. Armazenadas ali, estão prontas para fazer o caminho contrário. O cérebro dá o comando e o que era uma música estranha há cinco segundos já está na ponta da língua: “O que combina comigo é você”. O fenômeno criado pelos artistas caçadores de hits, invasores de cérebros de quem quer e quem, digamos, é obrigado a ouvi-los, ocorre mais no verão, época de férias, praia, rádios em alto e bom som. Em outras palavras, a temporada está aberta. A música que começa a se configurar como estrela desta temporada no litoral norte de São Paulo desce da Bahia, filhote da (quem diria) axé music, já dada como desaparecida. “Uma mistura de axé com pagode, de música alegre, é o que vai ditar o mês por aqui”, diz o coordenador artístico Joca Ferreira, da rádio Morada FM, que estende suas ondas de Caraguatatuba a São Sebastião. Na linha de Ivete Sangalo, um grupo chamado Parangolé já tem munição nas ondas do rádio: “Rebolatium” traz o pegajoso refrão “Rebolation é bom, bom. Rebolation é bom, bom, bom”. Quem gostar, bem, quem não gostar... “Vai bombar até o carnaval, pode apostar. Nas ruas, o pessoal já está cantando”, aposta Joca. Aos românticos, más notícias: músicas melosas não têm vez no verão. “Tirei a Mariah Carey da grade. Ninguém aguenta mais aquela da novela (“I wanna know what love is”, tema de “Viver a vida”). Passou meses tocando 30 vezes por dia”, diz o DJ. Sa lvador, produtor de “melodias superbonder” para o País todo, tem como usina da vez os grupos Chiclete com Banana, com a música “É só você pedir”, e Asa de Águia, com “Vale night”. “Tem coisa que aparece no gueto, no carnaval de rua, e que depois vem para as rádios e faz o caminho inverso”, diz DJ Cristóvão, da Rádio Itaparica, de Salvador. São Paulo, ainda sem absorver a produção baiana, que primeiro desce para o litoral antes de subir a serra nos cérebros dos paulistanos, faz suas apostas. “Lady Gaga já está nas rádios, mas agora que ela vai bombar de verdade com “Bad romance’”, diz Gilson Dario, programador da Metropolitana FM. Uma loira provocante que virá embalada por um pop dançante será Kesha, com “Tik Tok”. Beyoncé, anabolizada pelas vésperas de sua passagem pelo Brasil, em fevereiro, segue com “Single ladies”, “Halo” e “Ego”. Quando se junta a Lady Gaga, então, dá-lhe hit. “’Video Phone’ vai estourar”, diz Dario. Coordenador de programação da Jovem Pan, Paulo Pringles confirma as previsões do colega. “Lady Gaga toca três vezes mais do que qualquer outra coisa. Não fica duas horas sem tocar”. Na concorrente Transamérica, Johnny Pereira ousa quando o assunto é a produção nacional. “A Pitty estourou com “Me adora”, do CD “Chiaroscuro”. Deve bombar mais uma dela nos próximos dias, ou “Água contida” ou “Fracasso”, é uma aposta nossa”, diz. Em São Paulo, ele explica, bandas de rock têm mais abrangência, então devem continuar fortes. “Esse povinho emo deve bombar.” Enquanto os roqueiros se digladiam, novas duplas de sertanejo urbano ganham espaço. “Eles são a bola da vez”, fala Johnny. De carona com Victor & Léo, João Bosco &Vinícius e Zé Henrique & Gabriel seguem na busca por cérebros e corações.

Leia Também