Domingo, 19 de Novembro de 2017

Venda antecipada da soja caiu muito em MS

1 FEV 2010Por ADRIANA MOLINA E ROSANA SIQUEIRA06h:44
A venda antecipada da soja, prática comum entre os agricultores do Estado, e que garante um reforço de caixa antes de iniciar o plantio, caiu drasticamente em Mato Grosso do Sul este ano. Historicamente, nesta época, pelo menos 38% da soja já estaria comercializada no mercado futuro, mas o índice hoje é de apenas 20%. “O câmbio não favoreceu a comercialização, embora o preço da saca em dólar estivesse bom, cotada em US$ 17. Com isso, os produtores retraíram as vendas”, comenta Carlos Davalo, analista de mercado de Campo Grande. A previsão é de que os produtores continuem segurando a produção, gerando uma comercialização bem lenta nos próximos meses. Dessa forma, os agricultores venderão apenas para atender suas necessidades, o que pode agravar ainda mais o problema de armazenagem em Mato Grosso do Sul – já que a comercialização antecipada é sempre um fator positivo e importante para desafogar o sistema de estocagem de grãos no Estado. Armazéns O Ministério da Agricultura promete liberar, ainda nos próximos dias, R$ 17,5 milhões necessários para fazer o transporte de quase 130 mil toneladas de milho – hoje estocadas em armazéns de Mato Grosso do Sul – até a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). O local será alugado e tem disponibilidade para armazenar entre 130 a 150 mil toneladas. A verba virá do orçamento da União. O envio dos grãos para a Ceagesp, mais a operacionalização dos armazéns da Cooagri, que têm cerca de 450 mil toneladas, resolveria os problemas. A previsão é que a nova safra de soja atinja 6,3 milhões de toneladas. A capacidade estática total dos armazéns é de 6,8 milhões.

Leia Também