Quinta, 23 de Novembro de 2017

Valter declara apoio ao PT e arrasta dissidentes do PMDB

18 JUL 2010Por 21h:36
Fábio Dorta, de Dourados
lidiane kober, da redação
 
Grupo de pelo menos 50 dissidentes do PMDB de Dourados, liderado pelo senador Valter Pereira (PMDB), declarou ontem apoio à candidatura de José Orcírio dos Santos (PT) ao Governo do Estado. Os rebeldes integram diversos setores do partido, como o diretório municipal e o PMDB Mulher, sem contar outras lideranças da legenda. É o caso do empresário Mário Sérgio de Oliveira, militante histórico da sigla. Também figuram na lista candidatos a vereador na eleição de 2008, como Odete Nasrala.
Os dissidentes resolveram trabalhar contra a reeleição do governador André Puccinelli (PMDB) em apoio a Valter Pereira. O senador acusa Puccinelli de ter comprado votos para garantir que o deputado federal Waldemir Moka (PMDB) o vencesse nas prévias para a escolha do candidato ao Senado pelo partido.
Os rebeldes também reclamaram de outras atitudes do governador. Segundo eles, Puccinelli não abriu espaço no Governo do Estado para o PMDB de Dourados.
No encontro de Orcírio com as lideranças peemedebistas, Valter fez questão de ressaltar sua fidelidade ao partido, declarando que esta será a primeira vez que irá votar em candidatos do PT. “Eu nunca votei no PT, nem no Zeca (Orcírio). Eu nunca votei no Lula (presidente). Mas, desta vez, meu voto não será do André, meu voto será seu, Zeca”, afirmou. Ao contrário do seu pai, o prefeito de Terenos, Beto Pereira (PSDB), apoiará Puccinelli na eleição.      
Indagado se teme punição por apoiar petistas, o senador afastou qualquer tipo de preocupação. “O verdadeiro PMDB está comigo”, disse. “A maioria do partido está com a Dilma Rousseff (candidata do PT à Presidência da República)”, completou. Em nível nacional, a legenda fechou aliança com a petista, inclusive, indicou o deputado federal Michel Temer para a vaga de vice.
José Orcírio agradeceu o apoio do senador e dos dissidentes do PMDB e voltou a fazer críticas à gestão de Puccinelli no comando do Governo do Estado. Ele afirmou que pretende abrir espaço aos partidos aliados, inclusive, com cargos e comando de secretarias em sua administração, caso seja eleito.
Orcírio também declarou publicamente, pela primeira vez, apoio ao nome de Valter Pereira como coordenador da campanha de Dilma em Mato Grosso do Sul. “O senador Valter Pereira terá todo nosso apoio para coordenar aqui no Estado a campanha de Dilma”, afirmou.
Além de se reunir com os dissidentes do PMDB, ainda em Dourados, Orcírio apresentou suas propostas a professores da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e ao Núcleo de Evangélicos.

Rival
Enquanto isso, o principal adversário do petista, o governador André Puccinelli, pediu votos em Anastácio e Aquidauana. Em Anastácio, a caminhada partiu da casa do prefeito Claudio Valério (PMDB), na Rua João Leite Ribeiro. No trajeto, o peemedebista conversou com comerciantes e moradores da cidade. Ele prestou contas das ações desenvolvidas em benefício do município e do Estado e mostrou seu programa de Governo para um eventual segundo mandato.
Já o candidato do PSOL, Ney Braga, conversou, no período da tarde, com comerciantes do Shopping Campo Grande e, à noite, caminharia pela Feira Central.

Leia Também