Terça, 21 de Novembro de 2017

Vale retoma a produção de minério de ferro em MS

1 FEV 2010Por SÍLVIO ANDRADE, CORUMBÁ07h:04
A Vale dá sinais de retomada da produção de minério de ferro em Corumbá, aos patamares de 2008, e cria uma expectativa em relação ao projeto de expansão que adquiriu da Rio Tinto ao comprar a unidade da angloaustraliana no município, a Mineradora Corumbaense Reunida (MCR). A empresa projeta a produção de quatro milhões de toneladas de minério este ano no complexo Corumbá e já contratou em janeiro 128 novos trabalhadores para a área de operação. Hoje, a Vale conta com 890 funcionários na Urucum e na MCR e abrirá gradativamente novos postos de trabalho. “Incorporamos a MCR em setembro sem demitir um funcionário, ao contrário, contratamos 104 para a mina”, disse o gerente-geral do Complexo Corumbá, Azemar Sepúlveda Neto. O projeto de expansão que a Rio Tinto pretendia implantar em Corumbá, estimado em US$ 2,15 bilhões, está sendo analisado pela Vale dentro das variáveis do cenário, que já são mais otimistas em relação a 2009, segundo Sepúlveda. “Mas é ainda muito cedo pra dizer que a crise passou”, observa. Mercado reage A Rio Tinto projetava ampliar a capacidade de produção da mina, dos atuais dois milhões de toneladas para 12,8 milhões de toneladas em quatro anos, com investimento de US$ 700 milhões. A expansão incluía a construção de dois portos, no distrito de Albuquerque, próximo à mina, e no Uruguai. O gerente-geral afirmou que a produção de minério de ferro prevista para 2010 não depende apenas do mercado, mas também de logística. A Vale exporta para o Mercosul, Estados Unidos e Europa pela Hidrovia Paraguai- Paraná, que tem limitações de calado no período de seca no Pantanal. “A capacidade de produção está diretamente ligada à demanda mundial, cujo mercado começa a reagir com a retomada das exportações em escala próxima à de 2008”, disse Azemar Sepúlveda. “Dependendo dessa demanda, estudaremos uma nova logística e investimentos futuros.” Pesquisa e prêmio A Vale e a MMX foram apontadas como as marcas mais presentes na memória dos corumbaenses, no setor de mineração, entre as 27 pesquisadas pelos acadêmicos de Administração do Campus Pantanal, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em novembro de 2009. Em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Corumbá, a UFMS concedeu o prêmio Mérito Empresarial às duas mineradoras, que se destacaram nas áreas de responsabilidade social e preservação do meio ambiente. Os prêmios foram entregues na noite da última quinta-feira.

Leia Também