Sexta, 17 de Novembro de 2017

COPA DO MUNDO

Uruguai joga hoje por todo o continente

6 JUL 2010Por 06h:58
Cidade do Cabo, África do Sul

Pessoas de várias gerações que cresceram no Uruguai e na Holanda sonhando em ver sua seleção ser campeã mundial estão agora apreensivas, às vésperas do duelo decisivo pelas semifinais da Copa do Mundo. As duas equipes disputarão uma vaga na final do Mundial da África do Sul, hoje às 14h30min (MS), no estádio Green Point, na Cidade do Cabo, e esperam garantir, além da glória futebolística na decisão marcada para o dia 11 de julho, um fato inédito para as gerações que não as viram conquistar o título.

Afinal, a Holanda “bateu na trave” em duas ocasiões – foi à final em 1974 e 1978, mas perdeu as duas, respectivamente, para Alemanha e Argentina. Já o Uruguai sentiu o gosto de ser campeão, mas há tantos anos, que poucas testemunhas ainda são capazes de lembrá-lo. O sabor (amargo para os brasileiros) da conquista de 1950, no Maracanã, foi o último que restou.

De lá para cá, a Celeste Olímpica foi às semifinais apenas duas vezes, em 1954 e 1970. Depois, penou até para classificar-se para algumas edições. Já a Holanda, que teve duas participações (em 1934 e 1938) em Copas até o vice-campeonato em 1974, ficou de fora dos Mundiais de 1982, 1986 e 2002. Sua melhor participação recente foi em 1998, quando após ser eliminada pelo Brasil nas semifinais, terminou em quarto lugar.
Além da bagagem histórica, ambas as seleções entrarão em campo na Cidade do Cabo apresentando características diferentes. A diferença entre as duas trajetórias na África do Sul é marcada pelas dificuldades enfrentadas pelo Uruguai para vencer grande parte de suas partidas, enquanto a Holanda teve algum trabalho apenas nos 2 a 1 sobre o Brasil.

A Celeste chega para o jogo sem saber se contará com o zagueiro e capitão Lugano, lesionado, e com a certeza de três baixas. Jorge Fucile e Luis Suárez estão suspensos, e Nicolás Lodeiro, com uma fissura no pé, está fora da Copa.
A notícia positiva se centra na recuperação do zagueiro Diego Godín. O técnico Oscar Tabárez deverá optar por uma formação mais defensiva que a usada contra Gana, e com isso dificilmente escalará o atacante Loco Abreu no lugar de Suárez.

Já a Holanda terá dois desfalques, ambos por suspensão. Gregory Van der Wiel dará lugar a Khalid Boulahrouz na lateral direita, e Demy de Zeeuw atuará como volante em substituição a Nigel de Jong.

Leia Também