Quarta, 22 de Novembro de 2017

Uningá assume hoje, área da antiga rodoviária

8 AGO 2010Por 05h:34
Silvia Tada

Prefeitura de Campo Grande assina, hoje, termo de cessão de parte da área da antiga rodoviária da Capital para a Unidade de Ensino Superior Ingá (Uningá). A formalização era aguardada para que a instituição de ensino superior iniciasse a adaptação do piso superior do terminal rodoviário, onde funcionavam os guichês de venda de passagens, em salas de aula, laboratórios e biblioteca. A assinatura acontece durante a inauguração do prédio da Guarda Municipal, às 9h. Ontem, operários corriam para deixar o local pronto para a solenidade.
De acordo com o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Rodrigo Aquino, a cessão será feita sem custo para o poder público e todos os gastos com a reforma deverão ser bancados pela Uningá. “Haverá o compromisso com os prazos para o local entrar em funcionamento e também o retorno do movimento para o centro comercial”.

Guarda Municipal
Será comemorado, hoje, os 20 anos da Guarda Municipal, com a entrega da nova sede. O prédio de cerca de 400 metros quadrados abrigará a sede administrativa da corporação. Em dez dias de trabalho, cerca de 50 homens adaptaram o corredor no térreo da antiga rodoviária. O prédio recebeu divisórias, ar-condicionado e iluminação.
“Vamos trabalhar até a noite e entregar tudo hoje (ontem)”, garantiu o engenheiro Tiago Sanchez. Os trabalhadores faziam a parte de serralheria, colocavam placas indicativas e terminavam as instalações elétricas. A pavimentação das antigas plataformas ainda não foi feita.
Rodrigo Aquino afirmou que na segunda-feira será feita a mudança (atualmente, a Guarda Municipal funciona na antiga esplanada ferroviária). Após a solenidade de inauguração, comerciantes, familiares e autoridades participam da Festa da Linguiça do Chamamé.
Para o vendedor ambulante Odemilson Alves de Abreu, de 40 anos, apenas a presença dos guardas municipais não garantirá a volta dos clientes. “Queria mesmo que viesse um banco, como a Caixa Econômica Federal, o Detran ou o Camelódromo. Aí seria bom. Acredito que no ano que vem vamos voltar a ter movimento”, disse, esperançoso. Por dia, ele estima vendas em torno de R$ 15 a R$ 20. “Minha sorte foi que a esposa começou a trabalhar, então não depende só de mim para conseguir manter os sete filhos”, comentou.

Leia Também