Sexta, 24 de Novembro de 2017

Unidos da Tijuca é a campeã; Grande Rio fica em segundo

18 FEV 2010Por 07h:05
A Unidos da Tijuca ficou com o título de Campeã do Grupo Especial das escolas de samba do Rio. O último título havia sido conquistado em 1936. A escola teve 299,9 pontos dos 300 possíveis. A segunda colocada foi a Grande Rio, com 299,4 pontos; a Beija-Flor ficou em terceiro, com 299,2 pontos. A disputa foi acirrada, com equilíbrio entre a Unidos da Tijuca e a Beija-Flor. As duas escolas se mantiveram empatadas durante boa parte da apuração. Foi somente no sétimo quesito, alegorias e adereços, que a Tijuca assumiu a liderança até ser consagrada campeã. Nos últimos quesitos, a Beija- Flor foi superada também pela Grande Rio, que ficou com a segunda colocação. Com o enredo “É Segredo!”, a Unidos da Tijuca inovou e usou efeitos visuais para mexer com a imaginação do público. A escola foi a terceira a desfilar no primeiro dia de apresentações do Grupo Especial do Rio, e foi considerada pelo público a grande sensação da Marquês de Sapucaí. A escola apresentou uma comissão de frente totalmente inovadora, onde as mulheres trocavam de roupa em um passe de mágica. Como o regulamento permite somente 15 componentes, foi usada uma alegoria para esconder os demais integrantes. Coreografada, a comissão fez um show na avenida, e os componentes fizeram uma apresentação com truques do ilusionismo. A Unidos da Tijuca foi criada a partir da fusão de quatro blocos existentes nos morros da Casa Branca, da Formiga e da Ilha dos Velhacos, em 31 de dezembro de 1931, na subida da rua São Miguel. A agremiação é a terceira escola de Samba mais antiga do Brasil. Sobe e desce A tradicional escola de samba Unidos do Viradouro recebeu uma sequência de notas baixas na apuração de ontem, na Sapucaí, e acabou rebaixada para o grupo de Acesso do Carnaval do Rio de Janeiro. A São Clemente foi a campeã do Grupo de Acesso e desfilará no Grupo Especial do Carnaval carioca em 2011. Desde o início da apuração, as notas dadas à Viradouro não eram empolgantes. Com 290,5 pontos, a escola ficou distante da União da Ilha, 11ª colocada, que encerrou sua participação no carnaval carioca com 293,8 pontos. A escola polemizou ao levar para a avenida a pequena Júlia Lira, filha do presidente da agremiação, Marco Lira, como rainha de bateria. A menina de 7 anos chegou a chorar na Sapucaí devido ao assédio da imprensa. Além da polêmica gerada em torno de Júlia, o sambaenredo México, o Paraíso das Cores, sob o Signo do Sol não empolgou os foliões no sambódromo, o que lhe rendeu algumas críticas. O único êxito da Viradouro no Grupo Especial do Rio de Janeiro foi em 1997, quando o Carnavalesco Joãozinho Trinta, afastado da Beija-Flor, levou à Sapucaí o samba-enredo Trevas! Luz! A explosão do universo, abusando do jogo de cores e compassos na bateria em ritmo de funk. Grupo Especial Unidos da Tijuca conseguiu 299,90 pontos; Grande Rio, 299,40; Beija-Flor, 299,20; Vila Isabel, 298,10; Salgueiro, 297,90; Mangueira, 297,60; Mocid ade I ndependente, 296,10; Imperatriz, 295,80; Portela, 295,20; Porto da Pedra, 294,00; União da Ilha, 293,80 e Viradouro, 290,50.

Leia Também