Sábado, 18 de Novembro de 2017

Um mal silencioso

26 ABR 2010Por 22h:03
O Ministério da Saúde estima que a cada cinco pessoas, uma é hipertensa no Brasil porém boa parte desse número desconhece que sofre do mal. A doença é silenciosa e é mais comum na terceira idade, em mulheres após a menopausa e em idosos, sendo que 75% das pessoas acima  dos 70 anos são hipertensas. “O perigo da hipertensão é que ela não se manifesta logo no início e quando os sintomas aparecem muito tarde já existe o comprometimento de órgãos-alvos, como os rins, o coração e o cérebro”, alerta a cardiologista e professora da Universidade Nove de Julho  Josiane Motta e Motta.
A predisposição familiar, ou seja, a hereditariedade corresponde a 95% dos casos da hipertensão primária. Já os outros 5%  ficam por conta da hipertensão secundária, que surge por motivos específicos, como obesidade, gravidez, uso de drogas e de álcool e sal em excesso, idade avançada, sedentarismo, etc. No entanto, independente da causa ou tipo da pressão alta vale ressaltar que ela é a principal responsável por provocar  infarto agudo do miocárdio, um acidente vascular cerebral (derrame) e a falência dos rins”, alerta.

Sintomas
Se você sente dores de cabeça, na nuca, tem sangramento nasal, tonturas, visão turva e vermelhidão facial, corra para o médico, porque é sinal de que você pode estar hipertensa . “Se o aparelho apresentar a pressão acima de 140 x 90 mmHg (leia-se 14 por 9), o paciente é considerado hipertenso”, informa. Josiane lembra ainda que a Sociedade Brasileira de Cardiologia considera pré-hipertensas as pessoas com pressão arterial acima de 139 x 89 mmHg.

Consequências
Mais do que maiores chances de infarto (duas vezes mais do que uma pessoa normal) e acidente vascular cerebral (quatro vezes mais), há perigo de lesão de vários outros órgãos, como rins, cérebro, olhos e as próprias artérias. Se for o caso de uma pré-eclâmpsia, ou seja, pressão alta na segunda metade da gravidez, a atenção deve ser redobrada, porque, se não tratada, a hipertensão da futura mamãe pode levar à morte dela e do bebê. “Nesse caso, os sintomas costumam ser inchaços e excesso de proteínas na urina”, esclarece a médica.
Percebeu que não dá para marcar bobeira, certo? “95% dos casos de hipertensão não têm cura, mas têm, sim, controle”, alerta Josiane. Fique de olho nas dicas e saiba como controlar e prevenir a hipertensão!

Controle
Aos hipertensos é recomendada a mudança do estilo de vida, com a prática de exercícios físicos por, pelo menos, 20 minutos ao dia. Além da atividade física, a médica frisa que diminuir o sal é muito importante. “A recomendação é menos de cinco gramas de sal por dia. Portanto, devem ser evitados alimentos industrializados, responsáveis por 70% do sal que o brasileiro consome, e o saleiro à mesa”, orienta Josiane.
A docente diz ainda que cada nove gramas de sal geram retenção de um litro de água, o que sobrecarrega o coração. É recomendada uma dieta equilibrada, rica em frutas, verduras, potássio e em cálcio, com pouco sal e sem gordura saturada  para diminuir a hipertensão.

Leia Também