Domingo, 19 de Novembro de 2017

Saúde

Um difícil diagnóstico

25 JAN 2010Por 07h:35
Infelizmente, traçar o diagnóstico das imunodeficiências pode não ser um processo fácil, sobretudo porque nos primeiros anos de vida do bebê é comum que seu sistema imunológico ainda não esteja funcionando adequadamente. Crianças pequenas (de até três anos) costumam apresentar várias infecções de repetição nas vias aéreas (otite, laringite, resfriado, catarro), mas dependendo da frequência, da gravidade e do desenvolvimento da criança é provável que não seja imunodeficiência e sim uma simples queda do sistema imunológico. Além disso, nem sempre os sintomas de imunodeficiência primária se manifestam logo após o nascimento. Quando a falha no sistema de defesa se dá nas células produtoras de anticorpos, os sintomas podem demorar mais a aparecerem já que a criança amamentada no seio materno recebe níveis razoáveis desses anticorpos vindos da mãe. Então apenas quando cessa a amamentação e a própria criança não consegue produzir essas proteínas ou elas são falhas surgem as infecções. Os especialistas revelam diziendo que algumas imunodeficiências são assintomáticas (não deixam qualquer sinal). É o caso da falta de anticorpo IgA, uma das causas mais comuns de imunodeficiência. No entanto, os especialistas afirmam existir dez sinais que podem alertar para a existência de uma imunodeficiência primária. São eles: 1. Duas ou mais pneumonias ao ano 2. Oito ou mais otites ao ano 3. Estomatites de repetição ou monilíase por mais de dois meses 4. Abscessos de repetição ou ectima 5. Um episódio de infecção sistêmica grave (meningite, osteoartrite, septicemia) 6. Infecções intestinais de repetição/diarréia crônica 7. Asma grave, doença do colágeno ou doença autoimune 8. Efeito adverso à vacina BCG e/ou infecção por microbactéria 9. Fenótipo clínico sugestivo de síndrome associada à imunodeficiência 10. Histórico familiar de imunodeficiência A comprovação do diagnóstico clínico se faz por meio de exames de sangue e de imagem solicitados por um imunologista após a avaliação criteriosa de cada caso individualmente.

Leia Também