Sexta, 17 de Novembro de 2017

UFMS deve trocar vestibular de inverno por Enem de 2009

10 ABR 2010Por 20h:32

Michelle Rossi

 

O ingresso nos cursos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) deve dispensar o vestibular e ser realizado apenas com as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – sistema que já vai substituir o vestibular de inverno na instituição de ensino. A proposta será votada em 28 de abril pelo Conselho Universitário da UFMS, "mas existe uma forte tendência da universidade em aderir ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU), o qual seleciona novos estudantes exclusivamente com as notas obtidas pelo Enem", disse o pró-reitor de Ensino e Graduação da UFMS, Henrique Mongelli. Aliás, emendou, "a previsão é de que todas as universidades públicas passem a utilizar o sistema. No entanto, no Centro-Oeste, apenas a UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) já realizou admissão de seus alunos por meio do SiSU".

Mesmo sem vestibular, um edital de inscrições para os cursos de inverno da UFMS deve ser aberto entre os meses de maio e junho, mas só poderão se inscrever os estudantes que fizeram o Enem em 2009. "Os candidatos que não fizeram a prova no ano passado, não estarão habilitados para o processo seletivo de inverno", informou o chefe de coordenação administrativa e acadêmica da Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (Preg), Daniel Santee.

Portanto, quem quiser se candidatar a uma vaga na UFMS para o vestibular de verão em 2011 deverá fazer o Enem neste ano, seja estudante do ensino médio, ou aqueles que já terminaram esta etapa (mesmo os que concluíram um curso universitário e querem pleitear outra vaga na universidade). "Qualquer pessoa pode fazer o Enem", resumiu o coordenador.

A lista completa de cursos a serem ofertados no inverno, com ingresso dos alunos para agosto, ainda não está fechada, mas deve repetir os cursos disponibilizados no vestibular do mesmo período no ano passado, "com o acréscimo de novos cursos em todos os campi da UFMS", descreveu o pró-reitor. Na lista de 2009, constam: para Campo Grande, os cursos de Direito; História (Licenciatura); Música (Licenciatura – habilitação em educação musical) e Psicologia. Aquidauana: Administração e Geografia (Bacharelado). Coxim: História (Licenciatura); Letras (Licenciatura) e Sistemas de Informação. Paranaíba: Administração e Psicologia. Três Lagoas: Direito e Engenharia de Produção. Corumbá: Educação Física, e Nova Andradina: Administração.

 

Novas vagas

Atualmente são ofertadas 4 mil vagas por ano em cursos de graduação na UFMS. Para cumprir metas do Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), a universidade vai ampliar sua oferta de vagas. "Vamos passar para 5 mil vagas na graduação, conforme metas estabelecidas pelo Reuni para até 2012. Os novos cursos serão abertos em todos os campi da UFMS, inclusive em Campo Grande", continuou o pró-reitor, que preferiu não antecipar quais seriam os novos cursos a serem ofertados na instituição. "Em breve a lista deve sair", disse.

 

Enem

No último vestibular de verão da UFMS, o Enem foi utilizado para a admissão dos estudantes na universidade – as notas do exame tiveram peso de 50%, enquanto a outra metade ficou a cargo do vestibular – sistema que deverá ser extinto a partir de agora. "Acredito que a admissão pelo SiSU, que inclui apenas o exame do Enem, vai trazer para a universidade o perfil de estudante que é esperado pelas instituições de ensino nos dias de hoje. Alunos que demonstrem habilidade em lidar com os conteúdos, com a interdisciplinaridade e que articule os conhecimentos. Assim acreditamos que a evasão e repetência deva cair", opinou o pró-reitor.

Algumas universidades do Brasil já aderiram ao SiSU (confira a lista em: http://sisu.mec.gov.br) e agora a concorrência entre os candidatos é nacional, em virtude do exame ser único no Brasil. No entanto, é o aluno quem opta pela universidade. "Como a tendência é de todas as universidades aderirem ao sistema, vai haver um equilíbrio na oferta de vagas", apontou o pró-reitor.

Leia Também