Quinta, 23 de Novembro de 2017

TRE faz "vista grossa" em relação à falta de mulheres nas chapas

21 JUL 2010Por 20h:49
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) fez “vista grossa” para a irregularidade na composição das coligações e do partido que disputam as eleições deste ano e aprovou os registros nesta semana. Os partidos não cumpriram a proporcionalidade de gêneros na oferta de candidatos e lançaram um número inferior de mulheres, ferindo a lei eleitoral.
Na segunda-feira (19), antes do julgamento dos registro, o procurador eleitoral Pedro Paulo Grubits Gonçalves de Oliveira ratificou seu parecer – favorável à aprovação – afirmando que em todo Brasil os pedidos foram aceitos devido à dificuldade dos partidos em apresentar mulheres como candidatas. Somente no Paraná os partidos conseguiram cumprir a regra com rigor.

Mais homens
Estatísticas divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) demonstram que a regra é descumprida. Na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa, são 195 candidatos homens, que correspondem a 75% do total de concorrentes. As mulheres somam 65, ou 25%, dos candidatos a uma das 24 vagas. A relação de gêneros é prevista pela lei 9.504. Segundo essa regra, o número de homens e mulheres candidatos deve seguir a proporção de, no mínimo, 70% para um e 30% para outro.
No Estado, 87 mulheres serão candidatas na disputa proporcional. Além das 65 que disputam a Assembleia Legislativa, outras 22 concorrem a uma das oito vagas da Câmara dos Deputados. Alguns partidos, como o PSOL, não lançaram candidatas. Outros, como o PRTB, lançou apenas uma mulher. (FB)

Leia Também