Quarta, 22 de Novembro de 2017

Trânsito terá 70 equipamentos “olho vivo”

5 AGO 2010Por 07h:33
DANIELLA ARRUDA

Entrou em funcionamento ontem na Avenida Gury Marques, em caráter educativo, o primeiro semáforo dotado do sistema olho vivo (que registra fotograficamente avanço do sinal vermelho), dentre um total de 70 a serem instalados pela prefeitura em cruzamentos da Capital até 2014, segundo informações do diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Trindade Júnior.
Até o dia 2 de setembro, o dispositivo instalado nesse cruzamento, que fica situado em frente à nova estação rodoviária de Campo Grande, não gerará multa por infração. O condutor flagrado pela fiscalização eletrônica receberá em casa uma notificação informando que cometeu a infração, acompanhado das imagens registradas. O aluguel de cada dispositivo, fornecido pela Empresa Industrial Técnica (EIT), de Fortaleza (CE), custará R$ 2.884,00 mensais ao município e a previsão é que outros quatro sejam instalados na Capital nos próximos 30 dias.
Os cruzamentos definidos são o da Avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping Campo Grande, Avenida Mato Grosso com a Rua Bahia e dois pontos da Rua Joaquim Murtinho — em frente ao Centro de Convivência do Idoso Vovó Ziza e próximo ao Ponto de Integração Hércules Maymone, todos selecionados para priorizar a segurança na travessia de pedestres. “Conforme formos instalando, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia) vai aferindo e haverá 30 dias para campanha educativa em cada um”, explicou.
Os equipamentos vão detectar avanço de sinal vermelho, multando o condutor por este tipo de infração das 6h às 20h, e excesso de velocidade (24 horas) nas três classificações previstas no Código Brasileiro de Trânsito — transitar com velocidade até 20% acima do permitido para a via (que no caso da Gury Marques, é de 50 quilômetros por hora), entre 20% e 50% acima do índice permitido e acima de 50% da velocidade máxima estabelecida para o trecho.
A tecnologia permite ainda flagrar o estacionamento irregular sobre faixa de pedestres e conversão proibida. Estas duas infrações não estarão sendo fiscalizadas pelo semáforo da estação rodoviária, porém poderão ser flagradas em outros dispositivos programados para esse fim posteriormente.
No futuro, segundo o diretor-presidente da Agetran, o sistema “olho vivo” deverá atender também cruzamentos próximos aos terminais de ônibus e outros onde infrações são frequentes, como o da Avenida Afonso Pena com a Rua Ernesto Geisel. Ele também alertou para a importância do comportamento do condutor no trânsito após a instalação do sistema “olho vivo”.
“A Agetran está implantando um hoje (ontem), depois serão mais quatro e o volume de equipamentos vai aumentando, até que, com o tempo, o motorista não conseguirá mais decorar onde estão os semáforos (com fiscalização eletrônica). Então a regra é respeitar todos os semáforos no sinal vermelho”, comentou.

Leia Também