Quarta, 22 de Novembro de 2017

Transição demográfica

4 AGO 2010Por 08h:12
                                          Pesquisadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) começaram nesta semana a bater na porta da casa dos brasileiros para construir o mais preciso retrato possível da sociedade brasileira, que aparecerá no Censo 2010: quantos somos, qual a nossa idade, onde trabalhamos, quanto ganhamos etc.
Mas para conseguir fazer Raio X dos brasileiros e de suas condições de vida, o IBGE conta, acima de tudo, com a colaboração da população, que deve receber bem o recenseador e responder ao questionário corretamente. Censo é a mais importante e detalhada pesquisa sobre a população do País, realizada a cada dez anos.
Ao longo desta semana e pelos próximos três meses, 191.972 recenseadores do IBGE percorrerão os 8.514.876,599 km² do território nacional, nos 5.565 municípios brasileiros, com a tarefa de contar quantos somos e saber como vivemos. Em Mato Grosso do Sul, são 2.240 pesquisadores que até outubro deverão ter coleta de dados em 829 mil domicílios espalhados em 78 municípios. Desses, 285 mil só na Capital onde já estão trabalhando 600 pesquisadores do IBGE.
Mas, seja nos cerca de 58 milhões de domicílios particulares, seja em orfanatos, asilos e outros domicílios coletivos, nenhum brasileiro ficará de fora dessa operação, que envolve o trabalho direto de aproximadamente 230 mil pessoas e cujos resultados vão subsidiar o planejamento pelos próximos dez anos.
As informações são fundamentais para a elaboração de políticas públicas mais eficientes. É por meio delas que se sabe, por exemplo, onde estão concentrados os mais pobres, ou que investimentos precisam ser feitos em educação e saúde.
Cada um dos 191.972 recenseadores poderá ser identificado pelo seu uniforme – colete e boné, com logotipo do Censo, pelo equipamento eletrônico de coleta de dados (PDA) e por um crachá visível no bolso do colete, com nome, número de matrícula e foto.
Previsões sobre o futuro do Brasil também se tornam possíveis. Já se sabe, por exemplo, que o País passa pelo que se chama de “transição demográfica”.
Os casais têm tido menos filhos, e as famílias ficaram menores. Isso tem impactos positivos para a economia do País. Com menos gente para sustentar, o salário rende mais. O Censo vai medir, com precisão, em que etapa desse processo a sociedade brasileira se encontra. É muito importante, por isso mesmo, responder às perguntas dos pesquisadores, embora muita gente fique com medo de ladrões e golpistas. O importante é não deixar de abrir a porta para o recenseador – e participar. Mas igualmente prestar atenção neste momento, ou seja, exigir identidade, no uniforme e na máquina que registra os dados.   

Leia Também