Quinta, 23 de Novembro de 2017

Título eleitoral na última hora faz tribunal ficar superlotado

6 MAI 2010Por 06h:44
Nathalia Barbosa

Pelo menos 4 mil pessoas estiveram ontem – último dia do prazo – no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS), no Parque dos Poderes, em Campo Grande, para tirar o título de eleitor, transferir ou regularizar o documento. Todos que deixaram para resolver a situação eleitoral “na última hora” enfrentaram filas de espera.
Quem completou 18 anos e perdeu o prazo para tirar o título eleitoral não poderá votar e ainda pagará multa. Já quem tinha o documento, mas perdeu ou foi roubado e não o regularizou , poderá participar da eleição apresentando documento com foto. A segunda via poderá ser requerida ao juiz eleitoral até 10 dias antes da eleição, que será em 5 de outubro deste ano.
 
Reforço
Para atender a demanda ontem, mais servidores trabalharam durante todo o dia e 40 novos guichês foram disponibilizados. Nos dias anteriores foram apenas 19. Mesmo com a intensificação no atendimento, a demora chegou a aproximadamente uma hora.
No plantão do último fim de semana, a espera foi de 15 minutos. “Desde o momento que cheguei aqui, esperei na fila, peguei a senha e fui atendido, já passou uma hora”, disse Joelson Ramiro Luz, 20 anos, que foi tirar o título eleitoral.  
Algumas pessoas reconhecem que poderiam ter evitado a fila e ainda argumentam que isso se trata de problema cultural. “Brasileiro deixa tudo para a última hora mesmo”, brincou Ana Vanessa da Silva, 18 anos, que também foi tirar a 1ª via do título eleitoral.
O coordenador da Central de Atendimento ao Eleitor, Luiz Carlos Barbosa de Castro, atribui a superlotação e o tempo de espera ao fato de os eleitores terem deixado para comparecer ao local no último dia. “Até os aposentados, que tiveram a oportunidade de vir em um dia mais tranquilo, deixaram para hoje”, explicou.

Leia Também