Quarta, 22 de Novembro de 2017

Temporal deixa 40 mortos na Ilha da Madeira

22 FEV 2010Por 03h:43
Equipes de resgate trabalham para desenterrar carros e casas soterrados por rios de lama na ilha de Madeira, depois que chuvas torrenciais causaram enchentes e deslizamentos de terra que mataram ao menos 40 pessoas na popular ilha portuguesa. Mais de 120 pessoas ficaram feridas e um número ainda não determinado de pessoas estão desaparecidas, possivelmente levadas pelas correntezas ou soterradas pela lama, dizem as autoridades, que esperam que o número de vítimas aumente. As fortes chuvas atingiram a Il ha da Madeira na sexta-feira e no sábado, transformando ruas da capital em rios de lama, água e lixo. A tempestade deixou ainda 250 desabrigados. “Nós ouvimos um som muito alto, como um trovão, o chão tremeu e nós percebemos que a água começou a chegar”, disse Simon Burgbage. Carros que foram levados do alto dos morros pelas águas lamacentas foram parar no telhado das casas na base dos morros. “Foi horrível, havia carros nos telhados, havia vans e caminhões que caíram e foram completamente esmagados”, disse o turista alemão Andreas Hoisser. O número de vítimas “provavelmente vai aumentar, considerando as circunstâncias desta enchente”, disse o porta-voz do serviço social regional Francisco Ramos, acrescentando que ainda há muita dificuldade de comunicação. Buscas Os bombeiros estão usando equipamento de bombeamento para tentar drenar um estacionamento subterrâneo em uma loja de departamento perto de onde a correnteza formada pela enchente foi mais forte. As autoridades locais temem que lojistas tenham ficado presos sob a água e lama. “A loja está completamente destruída, danificada”, disse o proprietário João Andrade. As águas da enchente foram tão fortes que levaram até mesmo o caminhão dos bombeiros, que parou ao atingir uma árvore. Os bombeiros usam botes infláveis para navegar pelas ruas, em busca de moradores isolados. “As pessoas estão com medo, algumas perderam parentes queridos e as coisas estão complicadas por causa disso”, disse Luisa Jardin. O tempo melhorou neste domingo, tornando o trabalho das equipes de resgate mais fácil. Contudo, algumas estradas e pontes foram destruídas e outras ficaram bloqueadas por árvores, carros e destroços.

Leia Também