Segunda, 20 de Novembro de 2017

Tangerina, mexerica ou poncã?

23 JUN 2010Por 08h:10
CRISTINA MEDEIROS

O tempo começa a esfriar e as bancas das feiras e dos supermercados oferecem uma fruta gostosa de comer e fácil de descascar: a mexerica. Essa facilidade em descascar é um ótimo atrativo. A cor alaranjada e o cheiro são inconfundíveis, porém, muita gente confunde-se ao tentar definir o fruto. Tanto a poncã quanto a mexerica são tangerinas, com sabor, aroma e aspecto bem parecidos. Entretanto, as duas variedades apresentam diferenças importantes. “A principal é que a mexerica vem da planta Citrus deliciosa, enquanto a poncã se origina da espécie Citrus reticulata, de onde surge também a maioria dos outros tipos de tangerinas”, afirma o engenheiro agrônomo Ygor da Silva Coelho, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

 Os especialistas ainda apontam uma outra diferença: a mexerica tem em sua casca muito mais óleos essenciais – substâncias que deixam aquele cheiro forte e ácido quando se descasca a fruta – do que a poncã. Outra fonte de confusão são os diferentes nomes que a mexerica recebe em todo o País. “No Rio Grande do Sul, ela é chamada de bergamota. Em outras regiões, o nome muda para mimosa, mas a fruta é sempre a mesma”, diz ele.

Assim como a maioria dos cítricos, a tangerina provavelmente surgiu na Ásia, na região onde hoje estão países como Índia, China, Birmânia e Malásia. De lá, ela foi levada para o norte da África e seguiu para o sul da Europa durante a Idade Média. No Brasil, a primeira referência sobre a tangerina aparece em escritos do padre Manuel Aires de Casal, em 1817.

A fruta logo se adaptou ao clima do País. Sorte dos brasileiros, que podem aproveitar todos os benefícios nutricionais dessa fruta. Da mesma forma que a laranja, o limão e outras frutas cítricas, a mexerica e a poncã também são bastante ricas em vitamina C. Uma outra vantagem adicional é que os gomos possuem muita fibra. Por causa disso, o consumo dessas variedades ajuda na digestão.

Entre as variedades, existem a mexerica-cravo, um pouco ácida e é suculenta; poncã de gomos grandes, que solta a casca com facilidade; poncã-extra também possui gomos grandes, mas não é tão suculenta, entre outras. Em receitas, pode ser usada ao natural – mais comum –, em sucos, sorvetes, cremes e até em molhos para pratos salgados.  Cada 100 g da fruta oferece 40kcal, além de ser fonte de cálcio, fósforo, ferro, sódio, magnésio e enxofre e das vitaminas A, complexo B e C.

Leia Também