Quarta, 22 de Novembro de 2017

“Soja louca 2”

“Soja louca 2” preocupa produtor do Estado

8 JUL 2010Por 08h:24
Cícero Faria, Dourados

Embora o problema ainda não tenha sido relatado pela assistência técnica em Mato Grosso do Sul e esteja restrito a áreas de Goiás e principalmente ao norte de Mato Grosso, a doença denominada “soja louca 2” está preocupando produtores e pesquisadores que não sabem a sua origem e pelos prejuízos na última safra.
Por isso, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Embrapa realizam hoje uma rodada de discussão sobre a soja louca 2, com especialistas ligados a instituições de pesquisa, universidades, empresas de consultoria e representantes de produtores, na Federação da Agricultura e Pecuária (Famato) em Cuiabá.
Durante a Reunião de Pesquisa de Soja, em 10 e 11 de agosto, em Brasília, haverá também um painel para debater o novo problema. O presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados, Bruno Tomasini citou que no Estado não há relato oficial do problema, mas ele foi discutido em Campo Grande, na terça-feira durante  reunião feita por uma multinacional da área de defensivos agrícolas.  
Segundo o chefe de pesquisa da Embrapa Soja, de Londrina, José Renato Farias, a soja louca é uma anomalia complexa que pode estar associada a vários fatores. “A ideia é estabelecermos um protocolo de pesquisa, que possa auxiliar os pesquisadores no melhor entendimento sobre o problema, para que posteriormente possamos orientar a tomada de decisões a campo”, explicou.
O objetivo do evento, informou a Famato,  é que cada participante apresente as informações existentes até o momento sobre a doença de causa desconhecida que provocou prejuízos econômicos a algumas regiões produtoras de soja, principalmente na região norte de Mato Grosso.
“Estaremos reunindo os maiores especialistas do País, porque a soja louca já causou sérios problemas na safra 2009/2010 em Mato Grosso. O presidente da Aprosoja Glauber Silveira da Silva disse  que houve relatos de perdas localizadas, mas que mostram que, onde foi registrada a soja louca, a ocorrência foi severa. De acordo com dados da Aprosoja, há indicações de perdas de 100 a 200 hectares por propriedade  atingida.
Sintomas
De acordo com os pesquisadores Embrapa Soja, os sintomas observados são o afilamento das folhas do alto das plantas e o engrossamento das suas nervuras. As folhas apresentam uma tonalidade mais escura em relação às sadias. As hastes exibem deformações e engrossamento dos nós. As vagens também apresentam deformações, redução do número e apodrecimento de grãos.

Leia Também