Sábado, 18 de Novembro de 2017

Siufi será reeleito presidente da Câmara nove meses antes

1 MAR 2010Por 04h:30
Com apoio assegurado da maioria quase unânime dos colegas, Paulo Siufi (PMDB) será reeleito presidente da Câmara dos Vereadores de Campo Grande, na próxima quarta-feira. A sessão especial de eleição, com início previsto para o meio-dia, logo após a ordinária, acontecerá nove meses antes de terminar o atual mandato da Mesa Diretora da Casa, que vai até dezembro deste ano. Com isso, Siufi garantirá mais dois anos seguidos de mandato e ficará no cargo até dezembro de 2012. Será a primeira vez que a eleição interna na Casa será realizada antes do último mês de mandato da Mesa. Também é inédita reeleição de presidente no mesmo mandato de vereador. Isso passou a ser possível com alteração feita pelos atuais vereadores na Lei Orgânica do Município (LOM) mudando o regimento interno no ano passado. Antes, só quem presidisse a Mesa nos últimos dois anos de mandato e fosse reeleito vereador poderia concorrer de novo ao cargo na legislatura seguinte. Em 2001, o então presidente Márcio Matozinhos (PMDB) cogitou a hipótese, mas acabou desistindo. A disputa ficou entre Youssif Domingos (então pelo PDT) e Nelsinho Trad (PMDB), que acabou eleito presidente. Além da reeleição de Siufi, o vereador João Rocha (PSDB) continuará como primeiro secretário, cargo mais importante depois da presidência. As únicas alterações decorrem da saída do vereador Cabo Almi (PT) do cargo de 1º vice-presidente. A vaga será ocupada pelo 2º vice-presidente Lídio Lopes (PP), função que será ocupada pelo vereador Carlão (PSB), que, em dezembro passado, foi o primeiro a protocolar pedido de antecipação da eleição. Essa nova composição só passa a valer a partir de 2011. Até dezembro, quando finda o atual mandato de dois anos, a Mesa permanece inalterada, assim como as comissões. A eleição precoce da Mesa anunciada ontem por Paulo Siufi havia sido acertada bem antes pelos vereadores, conforme adiantou o Correio do Estado no início do mês, informando que só faltava marcar a data do pleito para depois do carnaval, no mais tardar até a primeira semana de março. A decisão foi oficializada na última quintafeira (25), quando a diretoria enviou edital de convocação aos vereadores para a sessão de eleição. A decisão, disse Siufi, foi tomada atendendo a pedido protocolado na Casa no dia 22 deste mês, por vereadores das pequenas bancadas, Marcelo Bluma (PV), Carlão (PSB), Thais Helena (PT), Paulo Pedra (PDT), Flávio César (PTdoB), Loester (PDT) e Herculano Borges (PSC). A justificativa foi evitar que o pleito interno coincida com o período de eleições estaduais. “Os vereadores acham que será uma eleição pesada”, disse Siufi. Cabo Almi (PT) considera que Siufi antecipa o processo por temer o resultado do pleito estadual. “Quem garante que, se o Zeca (ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos) ganhar a eleição para o governo, ele seria reeleito?”, questionou o petista. Reeleição precoce Desde julho do ano passado, quando comandou a mudança no regimento para possibilitar reeleição no mesmo mandato, Siufi havia assegurado apoio da maioria para ficar quatro anos no cargo. Desde 2009 possui apoio assinado de 17 dos 21 vereadores. Neste mês obteve aval de mais dois. A lista tem agora 19 nomes. “Só eu e o Bernal não assinamos”, informou Siufi. Alcides Bernal (PP) disse que não assinou por discordar da eleição nove meses antes do término do mandato, embora o regimento permita, ao estipular o dia 22 como datalimite sem proibir antecipação. “Eu disse ao Siufi que a eleição deveria ocorrer no fim do ano. Ele tem maioria, não precisa do meu voto”, justificou Bernal ontem. “Espero que tenha sabedoria para fortalecer cada vez mais o Poder Legislativo. Vou torcer para que isso aconteça”, acrescentou.

Leia Também