Quarta, 22 de Novembro de 2017

Sistema exige o cadastramento prévio dos visitantes

1 AGO 2010Por 21h:23
Além de o preso manifestar interesse em participar do Projeto Visita Virtual e Videoconferência Judicial, a família precisa efetuar cadastro e enviar documentação para a Penitenciária Federal que abriga o detento. Depois de receber a ligação da assistente social e orientações com relação ao projeto, os familiares têm que providenciar cópia autenticada do RG, CPF, comprovante de residência, duas fotos tamanho 3x4 e preencher uma ficha cadastral no site do Ministério da Justiça. Em seguida, essa documentação deve ser entregue na Defensoria Pública ou encaminhada para o Presídio Federal pelos Correios.
Após o recebimento dos dados, os documentos são arquivados no departamento de Divisão de Reabilitação da penitenciária e uma visita, com duração de 30 minutos, é agendada. Os visitantes precisam chegar na defensoria meia horas antes do início do encontro. No horário e local marcados os equipamentos são conectados e interno e familiares são deixados a sós.
Para o diretor da Penitenciária Federal de Campo Grande, delegado Washington Clark dos Santos, o tempo de visita é ideal para um encontro virtual, com bom som e imagem nítida. Apenas três adultos podem participar da visita, enquanto o número de crianças é ilimitado
As visitas virtuais ocorrem na sexta-feira, das 8h às 16h. O delegado Washington garantiu que a sexta é o melhor dia para o encontro, já que a visita social, com duração de três horas, é feita na quarta e quinta-feira e os demais dias da semana são reservados para outras atividades dos internos, dentre elas, visitas dos advogados.
A assistente social Rafaela Moura Fernandes de Azevedo explicou que desde a implantação da proposta em Mato Grosso do Sul, cerca de três visitas são feitas por dia, sendo que em algumas sextas não foi possível o encontro em decorrência de problemas técnicos nos equipamentos. O tempo entre o contato com a família e a visita virtual leva em média 15 dias. (VS)

Leia Também