Quarta, 22 de Novembro de 2017

Sistema alia pecuária e florestas

1 MAR 2010Por 04h:33
O sistema silvipastoril, que trata do consórcio de gado com florestas comerciais nas fazendas, é altamente benéfico ao setor, não só do ponto de vista lucrativo, já que é uma atividade com bons resultados financeiros. “Com o plantio de florestas pode-se recuperar áreas degradadas, com solos fracos, por exemplo. Em regiões arenosas, é uma saída rentável ao produtor, já que ele não teria sucesso com outro tipo de cultura nesse tipo de solo”, explica Benedito Mário Lázaro. E por conta desse “despertar” do setor agropecuário para a alternativa, os viveiros de mudas comemoram um boom nas vendas nos últimos anos. Eduardo Binotto, proprietário da Floreste Suprimentos florestais, verificou um crescimento na venda de mudas para o plantio de florestas comerciais de 400% nos últimos quatro anos, divididos em cerca de 100% ao ano. “Da média de 150 mil mudas que vendemos por mês hoje, cerca de 30% vai para o sistema silvipastoril”, relata. O percentual não parece tão expressivo frente aos outros 70% dos que plantam exclusivamente para atender as empresas, mas é. Principalmente porque para que o sistema silvipastoril pudesse ser implantado em Mato Grosso do Sul, os pecuaristas tiveram que mudar sua mentalidade tradicionalista. Muitas famílias que estazam década somente na atividade, resistentes a qualquer tipo de diversificação, puderam conhecer as vantagens do silvipastoril e mudar de opinião – processo que ainda tem muito que avançar. O produtor rural Francisco Maia era somente pecuarista até três anos atrás. Decidiu investir na diversificação com o plantio de eucaliptos por acreditar que esta é uma grande alternativa nos solos que não permitem boa produtividade com a agricultura. Sua propriedade, em Campo Grande, se encaixava nesse perfil. “Vou começar a colher no sexto ano e, diferente da agricultura, que quando a lavoura está pronta, independente do preço no mercado é obrigatória a colheita e venda, com o eucalipto posso esperar e avaliar o momento mais lucrativo para colher e vender”, avalia, evidenciando uma das vantagens. (AM)

Leia Também