Sexta, 24 de Novembro de 2017

Setor elabora projeto da venda do boi à vista

23 FEV 2010Por 03h:55
A Comissão Técnica de Pecuária de Corte da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e a Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM) estão elaborando um projeto piloto para mudar o sistema de comercialização do gado gordo. O objetivo da proposta é fazer com que as relações de compra e venda entre pecuaristas e a rede frigorífica sejam mais transparentes e com garantia de liquidez. O coordenador da comissão, José Carlos Lemos Monteiro, explica que a discussão veio à tona após os últimos acontecimentos envolvendo a falta de pagamento por parte de algumas redes de frigorífico. “O que queremos é dar ao produtor uma oportunidade diferente de comercialização dos produtos, garantindo melhores condições de recebimento”, destaca. A BBM é uma das opções para fazer com que os produtores tenham um novo mecanismo de venda. Uma das garantias dessa proposta entre a Famasul e a Bolsa é fazer com que o boi se torne uma commoditie, assim como é a soja, o milho e o etanol. A proposta já foi apresentada para a Confederação Nacional de Agricultura (CNA), Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e Fórum Nacional da Pecuária de Corte. Na quinta-feira, a iniciativa será apresentada para a Associação Brasileira dos Frigoríficos, em São Paulo. O vice-presidente da Bolsa no Estado, Carlos Eduardo Dupas, afirma que a bolsa é capaz de fazer essa aproximação entre os dois agentes da relação, garantindo mais transparência e liquidez nas operações. “Antigamente os problemas de falta de pagamento nessas transações eram pontuais, mas de uns dois anos para cá se tornaram recorrentes. Com esta operação via BBM, ambos os lados (pecuaristas e frigoríficos) serão beneficiados”, diz. (CHB)

Leia Também