Segunda, 20 de Novembro de 2017

Serra ataca Dilma e acusa PT de censurar imprensa

20 AGO 2010Por 05h:26
BRASÍLIA

O programa de rádio do candidato do PSDB José Serra no horário eleitoral gratuito, ontem, fez críticas diretas à sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT), dizendo em um jingle que há dúvidas sobre o histórico da candidata. Mantendo a estratégia de subir o tom dos ataques contra a petista, a peça também diz que Dilma, agora, quer se apropriar de todas as ações do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“Ninguém sabe de onde veio, ninguém sabe o que ela fez. Mas diz que é dona de tudo, o Brasil inteirinho foi ela que fez. Dona Dilma pega leve que o povo está reparando. Tira mão do trabalho do Lula, ta pegando mal que o Brasil ta olhando. Tudo que o Lula criou, ela diz: fui eu, fui eu. Tudo que é coisa do Lula, Dilma diz, é meu, é meu. Coisa feia, hein?”, diz o jingle.
O locutor “Ari”, como é chamado no programa de Serra, tem sotaque nordestino e voz parecida com a de Lula. Na peça publicitária, ele dialoga com os locutores “Chico e Joca” para criticar a candidata petista.
No programa de rádio do PT, a única provocação à campanha tucana também foi feita pelos locutores. Na segunda edição, o locutor fala: “Aqui não tem programa repetido não. Repetido é do outro que tem pouco a dizer”.
A propaganda de Dilma segue a fórmula de colar a imagem da candidata à do presidente Lula, que a trata como a “grande responsável” pelas conquistas de sua gestão.

Censura
Em discurso para empresários do setor de comunicação durante o 8º Congresso Brasileiro de Jornais, Serra fez duras críticas ao governo Lula e ao PT, acusando-os de usar a máquina pública e métodos antidemocráticos para cercear a liberdade de imprensa.
O ex-governador paulista listou o que considera ser os três instrumentos usados pelo PT para oprimir jornalistas e restringir a liberdade de expressão. Um deles, é a utilização de dinheiro público em conferências para discutir o controle da imprensa. “Essa é uma via ‘democrática’ de estabelecer o controle, porque as conferências pagas com o dinheiro público são de frações de partido, do PT, que é a favor disso”, afirmou o tucano.
O tucano também apontou a publicidade governamental como ferramenta de controle da mídia e criticou o que classificou de “patrulhamento” de jornalistas que seria realizado por integrantes do PT. “Para boa parte da mídia, o peso da publicidade governamental é grande”, declarou.

Leia Também