Sábado, 18 de Novembro de 2017

Sebrae amplia atendimento a empreendedor

26 JAN 2010Por DA REDAÇÃO07h:33
O projeto “Sebrae 32 horas”, criado para orientar e incentivar os trabalhadores a se tornarem empreendedores individuais, foi lançado na manhã de ontem na Praça Ary Coelho, em Campo Grande. No local foi instalado um posto de atendimento, que vai ficar até o dia 13 de fevereiro, para o cadastramento dos pequenos e microempresários interessados em legalizar seu negócio. A iniciativa do Sebrae e prefeitura busca dar oportun idade e est imu lar os pequenos empreendedores que atuam irregularmente para deixar a informalidade, constituir uma empresa legal e garantir os direitos assegurados pela Previdência Social. Entre os benefícios previdenciários que a legalidade traz, estão a aposentadoria, o auxílio doença e o auxílio maternidade. O diretor-superintendente do Sebrae, Cláudio Mendonça, explicou por que o projeto se chama 32 horas. “São oito horas de atendimento nas sedes do Sebrae (na Capital, Dourados, Coxim, Três Lagoas, Corumbá, Bonito e Ponta Porã) e na Praça Ary Coelho, e 24 horas na internet”. Também foi montado um stand de atendimento no shopping Campo Grande que fica no local até o dia 31 de janeiro. Para quem mora em cidades do interior do Estado que não têm escritórios do Sebrae, é só ligar para o nº 08005700800 (ligação gratuita) que o órgão agenda uma consultoria específica no município. No caso das consultorias na web, o endereço eletrônico é www. sebrae.com.br. O prefeito Nelson Trad Filho fez questão de participar do lançamento do projeto na Praça Ary Coelho. “Espero que a população possa usufruir esse espaço e saia da informalidade”. Em seu pronunciamento, Nelsinho informou que “a administração municipal tem um trabalho forte de incentivo à formalização dos pequenos empreendedores. O Sebrae é uma ferramenta importante dentro da formalidade, que traz benefícios para a população e para os entes públicos”. “Nossa meta, agora, é formalizar 18 mil empreendedores em todo o Estado, dez mil apenas em Campo Grande”, afirmou o diretorsuperintendente do Sebrae. Na opinião da secretária de Estado de Desenvolvimento Agrário, Produção e Turismo e conselheira do Sebrae, Teresa Cristina Dias, “os micro e pequenos empresários irrigam a economia e promovem o desenvolvimento do estado”. Empreendedor individual É considerado empreendedor individual quem fatura, no máximo, R$ 36 mil por ano, não tem participação em outra empresa como sócio ou titular e possui um empregado contratado que recebe o salário mínimo ou o piso da categoria.

Leia Também