Sábado, 18 de Novembro de 2017

Inspeção

Saúde sacrifica lote de bovinos em Terenos

1 JUL 2010Por 07h:54
VERA HALFEN

O Serviço de Inspeção Federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), acompanhou anteontem o abate de cinco bovinos, apreendidos em fazenda localizada no município de Terenos, que utilizava ingredientes de origem animal (cama de frango), para alimentar os animais, proibido pela legislação brasileira. O objetivo do abate sanitário é evitar situações que possam oferecer riscos para a saúde animal. A medida visa prevenir a ocorrência da Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como a doença da “vaca louca”.

A ração foi coletada pelos fiscais e encaminhada para o Laboratório Oficial do Mapa (Lanagro). O resultado das análises comprovou a utilização.
De acordo com o fiscal federal agropecuário, Antônio Belarmino Machado Jr., desde 2006 a fiscalização é rotineira, para prevenir a sanidade bovina, embora seja quase zero o risco da doença no Brasil. “O que gerou alarde foi a mudança no sistema de abate. Até outubro de 2009, o proprietário tinha até 30 dias para abater os bovinos, com acompanhamento da fiscalização na retirada do material de risco, que está no sistema nervoso central e linfático. Hoje, essa prática mudou. Como a apreensão foi em Terenos, o gado foi removido para o Frigorífico Peri Alimentos”, explica.

A legislação prevê ainda multas pesadas para o produtor que utilizar ingredientes de origem animal na alimentação de ruminantes, além da interdição da propriedade.

Leia Também