Sábado, 18 de Novembro de 2017

Saúde alerta para surto da gripe suína

5 ABR 2010Por 22h:15
Anahi Zurutuza

Autoridades em Saúde de Campo Grande e Mato Grosso do Sul já se preparam para enfrentar novo surto da gripe suína – doença causada pelo vírus Influenza A (H1N1) – a partir da segunda quinzena de maio. De acordo com a chefe do serviço de imunização da Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau), Erci Hirota, embora a Capital e o Estado não tenham registrado casos da doença este ano, as secretarias municipal e estadual de Saúde já estão em alertas para o aparecimento de pacientes com a doença a partir do próximo mês.

Em Mato Grosso do Sul, de janeiro a março deste ano, quatro pessoas apresentaram os sintomas da gripe suína, mas nenhum dos casos foi confirmado por exame laboratorial. Já no Brasil, até o dia 20 de março, o Ministério da Saúde já recebeu notificação de 255 casos graves da gripe e 36 mortes causadas pela doença em todo o território nacional.  “O vírus ainda não está circulando no Estado, mas só de saber que voltou a aparecer no restante do País é preocupante. De qualquer forma, para MS a previsão é que, em meados de maio, comecem a aparecer casos”, afirma Erci.

No ano passado, conforme boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES) de dezembro de 2009, Mato Grosso do Sul teve 353 notificações de casos de gripe suína. Destes, 74 foram confirmados. No Estado, 17 pessoas morreram por conta da doença. “Não tivemos quadro tão grave como outros estados. Este ano, como estamos vacinando a  população, acredito que a doença não tome grande proporção. Mas já é preciso, com certeza, redobrar a atenção”.

Prevenção
Segundo Erci, a vacina é a principal “arma” para se prevenir da gripe suína. “Por isso, queremos participação da população, a gente apela para as pessoas procurarem as unidades de saúde e tomar a dose, não deixar isso para a última hora”.

A chefe da imunização lembra, ainda, que os hábitos adquiridos durante a epidemia da doença no ano passado “não devem ser deixados de lado”. “Lavar as mãos com frequência, evitar aglomerações e lugares fechados, manter a casa e local de trabalho limpos são medidas que têm de ser reforçadas. Para os que não estão inclusos nos grupos que receberão a vacina a gente pede que não se preocupem, mas que também não descuidem das outras maneiras de se prevenir”.

Leia Também