Segunda, 20 de Novembro de 2017

Saindo da rotina

8 JUL 2010Por 10h:09
OSCAR ROCHA

Os 99 quilômetros que separam o município de Campinas de São Paulo podem trazer surpresas para o turista que quer sair das tradicionais praias paulistas ou, então, dar um tempo nas ofertas culturais da Capital daquele Estado. Com dois voos diários pela Azul Linhas Aéreas, entre Campo Grande e Campinas, muitas vezes com promoções que tornam a viagem mais econômica do que o transporte terrestre, o fim de semana ou feriado, nesta rota pouco explorada – que abrange cidades como Vinhedo, Valinhos, Jundiaí, entre outras – pode ser boa opção para toda a família.

Em Campinas, as ofertas de hospedagem são imensas, das mais populares até as mais sofisticados (leia box). Mesmo sem centro histórico capaz de seduzir quem aprecie um pouco de história, a cidade, que é referência na área universitária e econômica, pode agradar quem gosta de uma vida noturna variada. Mesmo assim, uma visita à Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição, que foi construída no século 19, por quase 80 anos, e ao Museu de História Natural, no Bosque dos Jequitibás, tem que fazer parte do roteiro.

Mas é pegando a Rodovia dos Bandeirantes que o turista pode achar fortes emoções, acompanhando as atrações à beira da estrada. Distante cerca de 15 quilômetros de Campinas, nos limites entre os municípios de Vinhedo e Itupeva, estão dois dos maiores parques temáticos do Brasil – Hopi Hari e Wet’n Wild. No caso do primeiro, são 55 atrações, indo da quinta maior montanha-russa de madeira do mundo, que pode atingir até 103 km/h – aviso aos navegantes: esta, somente para quem consegue lidar com fortíssimas emoções – até um aprazível passeio em canais que reproduzem correntezas de um rio do velho oeste – ideal para toda a família. É uma programação para pessoas de todas as idades.

Os pacotes são vários e podem ser consultados no site do parque – www.hopihari.com.br. Outro aviso: prepare-se para enfrentar grandes filas, pois as atrações são disputadíssimas nas férias. Fora do período de inverno, outra opção, ao lado do Hopi Hari, é o Wet’n Wild, que proporciona muita diversão, com estruturas que possibilitam diversos tipos de emoção, tendo água como elemento principal. Por exemplo, o Wave Lagoon, programado por computador – simula 18 tipos de ondas, numa área de 2.420 metros quadrados. Elas alcançam até 1,20 metro de altura, dando a impressão de um banho de mar de verdade, com uma profundidade que varia do raso até 2,5 metros.

O parque reabre no dia 27 de agosto, depois de três meses de recesso, no período mais frio do ano. Os preços da nova temporada não estão definidos. A  partir de agosto, poderão ser consultados no site www.wetnwild.com.br.

Festas típicas
Ainda seguindo pela Bandeirantes, é possível conhecer as cidades de Valinhos, Vinhedo e Jundiaí. Normalmente, esses municípios fazem suas festas de produtos típicos. Então preparem-se para degustar uva, goiaba, figo, morango, entre outras. Algumas acontecem em janeiro e, mesmo com simplicidade, pode ser um programa agradável para jovens e adultos. A dica é explorar e sair da rotina. A surpresa pode estar em cada parada.

Leia Também