Sexta, 17 de Novembro de 2017

Sacerdote de Morales preso com 240 kg de coca

30 JUL 2010Por 09h:17
O sábio aimará que, em 2006, entregou um bastão a Evo Morales quando este se tornou presidente da Bolívia foi detido por tráfico de drogas, informaram nesta quinta-feira autoridades locais.
Valentin Mejillones foi detido pela Força Antidrogas da Bolívia após a descoberta de um laboratório de produção de cocaína em sua casa na cidade de El Alto. No local, foram apreendidos 240 quilos da droga em forma líquida. Quando a polícia chegou, o sábio estava ao lado de seu filho, de mesmo nome, e um casal de colombianos.
O diretor da Força Nacional de Luta contra o Narcotráfico, Félix Molina, disse em coletiva de imprensa que Mejillones e os demais foram detidos “em flagrante” na “purificação da cocaína”.
“Fui enganado. É uma surpresa. Não tenho nada a ver. Eu fiz a eles um favor, eles me disseram que iam fazer pastilha de erva, pomadas”, disse o indígena.
Mejillones entregou a Morales dois bastões. Um em 2005, antes das eleições, para dar-lhe sorte, e outro quando já tinha sido eleito, em 2006, quando recebeu o bastão de mando em uma cerimônia indígena no centro cerimonial de Tiwanaku por ser o primeiro presidente indígena da Bolívia.
O caso ocupa a primeira página dos jornais locais, em sua maioria contrários ao governo. Os veículos também publicaram a denúncia de um ex-funcionário do governo, que acusou o alemão Dirk Schmidt, procurado em seu país por tráfico de armas, de ter trabalhado para o governo.
O ministro de Interior, Sacha Llorenti, declarou que Schmidt “não foi e não é funcionário do ministério do governo e é um homem de altíssima periculosidade”.
Anteriormente, Gustavo Torrico, destituído do cargo de vice-ministro do Interior há 12 dias, disse que contratou o alemão em fevereiro como seu “informante pessoal” e encomendou a ele tarefas específicas em Santa Cruz.

Leia Também