Terça, 21 de Novembro de 2017

Ruralistas querem indicar o vice de Orcírio

19 MAI 2010Por 06h:10
Maria Matheus

Representantes do setor ruralista reivindicaram ontem a indicação do candidato a vice na chapa a ser encabeçada pelo ex-governador José Orcírio dos Santos (PT). A proposta partiu do tesoureiro da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Luiz Vieira, que defendeu a união da classe para indicar um nome para compor a chapa majoritária do PT. Na reunião com Orcírio, realizada na sede da Acrissul, pecuaristas se comprometeram a entregar documento com as sugestões para o programa de Governo dos candidatos e, também, promover um debate entre eles.
“Gostaríamos que o senhor passasse o perfil para que nós todos da classe ruralista nos reuníssemos para escolher um nome e pudéssemos indicar um vice”, disse Vieira, durante a reunião.
O presidente da entidade, Chico Maia, que no final do ano passado chegou a ser cogitado para vice de Orcírio, confirmou que os ruralistas querem ter maior representação na política. “É uma forma até de valorizar o segmento”, comentou.  
Ele observou que geralmente os candidatos escolhem o vice considerando o município que representam, preferindo representantes de Três Lagoas ou Dourados, onde se concentra o maior número de eleitores. “O que se propõe é que (o critério) seja por setor. E o agronegócio é o setor mais importante do Estado”, afirmou.
Segundo Chico Maia, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), os sindicatos, cooperativas e a própria Acrissul têm bons nomes para indicar à chapa majoritária. “Mas isso não é uma questão que condiciona apoio”, enfatizou.
Embora tenha defendido a administração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja passagem veio “desmistificar que a esquerda é contra o produtor”, Maia frisou que o setor não tem de apoiar “o partido A ou B”, mas sim “um programa de governo”. O presidente da Acrissul afirmou que quem tiver compromisso com o agronegócio, terá apoio dos ruralistas. “A nossa bandeira não é azul, nem vermelha. Nossa bandeira é verde, do agronegócio” discursou.
Orcírio reafirmou que gostaria de encontrar um vice de Dourados, segundo maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul. “Não precisa necessariamente (ser um ruralista), mas de preferência. Afinal de contas, o agronegócio é uma atividade importante para o Estado. Defendo essa tese, que encontremos alguém de Dourados vinculado a isso”, disse.
O petista repetiu que prefere um vice que não seja do PT nem do PDT, porque ambas as siglas já têm espaço na majoritária - o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) é pré-candidato ao Senado. Para isso, considera fundamental definir quais partidos irão compor a aliança.

Propostas
Orcírio reafirmou a proposta de dividir a atual Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur) em três: Indústria e Comércio, Turismo e Agronegócio. Também sugeriu política diferenciada de incentivo fiscal para levar indústrias a outros municípios além de Três Lagoas e defendeu o diálogo para resolver conflitos entre fazendeiros e indígenas.

Fundersul
Segundo o produtor rural Toni Moura, pontes e estradas estão abandonadas, o que dificulta escoar a produção. “Nossas estradas eram muito bem conservadas e ficamos um pouco abandonados depois que o Zeca (Orcírio) deixou o governo”, lamentou.
Chico Maia reclamou da falta de participação dos produtores na indicação de investimentos com verbas do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul (Fundersul). “Nunca recebemos ninguém do governo para perguntar quais estradas precisam de cascalhamento”, reclamou.
Orcírio lembrou que, em seu governo, a gestão dos recursos passava por um comitê, do qual participavam representantes do setor ruralista.
Durante o encontro, o petista propôs a criação de secretaria ou subsecretaria para a região do Pantanal. “Por que não criar uma secretaria especializada para cuidar dos problemas da região e da gente que vive lá?”, sugeriu o pré-candidato, citando problemas como roubo de gado e narcotráfico.
Orcírio disse, ainda, que pretende discutir a redução do ICMS sobre combustíveis, acabar com o ICMS Garantido (em que o governo presume o lucro da mercadoria ao entrar no Estado, e sobre esse valor presumido aplica o imposto) e reduzir a pauta fiscal para valores de mercado.
Segundo o vice-presidente da Acrissul e um dos fundadores do PSDB, Jonathan Barbosa, a entidade não tem cor partidária, defende o agronegocio. “O senhor é bem-vindo aqui. Chega um pouquinho além da hora, mas é em tempo”, comentou.

Leia Também