Segunda, 20 de Novembro de 2017

CONFEDERAÇÃO DO TRANSPORTE

Rodovias do Estado pioraram em um ano, aponta pesquisa

16 SET 2010Por 02h:37

Silvia Tada

De 2009 para 2010, as condições das rodovias federais e estaduais de Mato Grosso do Sul pioraram. Enquanto no ano passado, 12,1% dos trechos eram considerados péssimos (0,9%) ou ruins (11,2%), neste ano o percentual passou para 21,1% – 15,2% ruins e 5,9% péssimos –, revelou pesquisa divulgada ontem pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). Na outra ponta da avaliação, 5,1% foram considerados ótimos, em 2010, enquanto no ano anterior eram 7,4%. Foram avaliados 3.750 quilômetros de estradas.
Dezesseis rodovias no Estado foram avaliadas na pesquisa deste ano, considerados aspectos gerais, pavimentação, sinalização e geometria. A mais importante delas, a BR-163, principal via utilizada para o escoamento da produção agrícola, foi avaliada em 862 quilômetros e foi considerada “regular”, com pavimento “bom”. Apenas no sul de MS, de Dourados ao município de Cascavel (PR), a via é considerada “ruim” e está entre os dez piores trechos avaliados do País.
Os 104 quilômetros da MS-306, na região de Cassilândia, Chapadão do Sul e Costa Rica, tiveram classificação “ruim”, sendo que a sinalização e a geometria estão com conceito “péssimo”. A mesma situação foi constatada na BR-483 e na BR-497, ambas em Paranaíba. Na rodovia estadual, segundo informações do Governo do Estado, será feito o recapeamento e pavimentação do trecho de terra. A obra está em fase de contratação.
Os locais considerados com boa trafegabilidade são a MS-134, que está com pavimento “ótimo” e sinalização “ruim”, a BR-158 (próximo de Três Lagoas), considerada “boa”, de modo geral, e a BR-262, que corta o Estado de leste a oeste e tem 784 quilômetros e obteve avaliação “boa”.
Quase a totalidade (98,2%) das vias de MS são simples de mão dupla e praticamente a metade (49,6%) está com condições de superfície “totalmente perfeita”, enquanto outros 36,9% apresentam “trinca em malha ou remendo”.
Rodovias federais como a BR-267 e a BR-262 passam por obras feitas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Comparações
Em 2009, mais da metade (60,8%) dos quilômetros avaliados em Mato Grosso do Sul estavam regulares, 19,7% eram bons, 7,4% ótimos, 0,9% péssimos e 11,2% ruins.
Neste ano, os índices alcançados foram: 46,9% regulares, 5,1% ótimo, 26,9% bom, 15,2% ruim e 5,9% péssimo. Os números são próximos do verificado em 2007, quando 55,6% estavam regulares, 13,3% eram considerados bons, 7,1% ótimo, 20,5% ruins e 3,5% péssimos.
Esta é a 14ª edição da pesquisa e foram avaliados 90.945 km de vias federais e as mais importantes estaduais.

Leia Também