Segunda, 20 de Novembro de 2017

Reunião bilateral vai debater as ações sanitárias na fronteira

27 JAN 2010Por 07h:51
Autoridades sanitárias do Brasil e Paraguai participam de uma reunião técnica em Ponta Porã, amanhã, para discutir o plano operacional 2010 e a continuidade das ações sanitárias desenvolvidas conjuntamente na Zona de Alta Vigilância dos dois países. O evento ocontece no Auditório do Hotel Barcelona a partir das 9h. Participarão desta primeira reunião bilateral somente representantes do Governo Federal e Estadual, Agências de Sanidade Animal e Vegetal do Brasil e do Paraguai. O mediador será o Dr. Jamil Gomes de Souza, Diretor do Departamento de Saúde Animal do MAPA. A reunião contará com a participação da Secretária de Estado, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias (SEPROTUR), Maria Cristina Galvão R. Carrijo, Diretora Presidente da Iagro/MS, do Superintendente Federal de Agricultura no Mato Grosso do Sul, Orlando Baez, e do Dr. Daniel Rojas López, Presidente do Serviço de Sanidade Animal do Paraguai (Senacsa). Na parte da manhã, as equipes técnicas dos dois países apresentarão os trabalhos sanitários executados na ZAV. A apresentação das ações sanitárias do lado brasileiro ficará a cargo da IAGRO. Na sequência, técnicos do SENACSA apresentarão os trabalhos desenvolvidos na Zona de Alta Vigilância do Paraguai. À tarde serão discutidas questões como a vigilância longitudinal e o sistema de infraestrutura e recursos humanos para atuar na fronteira, intitulado de “Plano Operativo 2010”. Pauta A última reunião realizada em 2008 contou com a participação das entidades de classe e do setor produtivo. Na ocasião, foram abordados temas polêmicos que ocorrem com frequência na região de fronteira, como a questão dos rebanhos apascentados ou que transitam na linha internacional, animais com brincos brasileiros encontrados no Paraguai ou animais paraguaios encontrados do lado brasileiro, fiscalização fluvial conjunta no Rio Paraguai e cadastro conjunto dos pontos de embarque fluvial no R io Paraguai, afluentes e baías, oficialização dos embarques, lacres dos pontos, responsabilidades dos produtores, realização de palestras educativas nas Zonas de Alta Vigilância dos dois países através da Iagro e da Senacsa, realização de inquérito soro epidemiológico conjunto, entre outros.

Leia Também